Telefones celulares

Os telefones celulares, de equipamentos de luxo, passaram a ser objetos comuns e acessíveis. Até comprei um smartphone, mas eu usava somente o Angry Birds, então aposentei o aparelho por ser um trambolho. Hoje tenho um aparelho bem simples. A vantagem é que a bateria dura uns 10 dias e vejam só, o telefone se presta a fazer e receber chamadas! Os telefones celulares são úteis, eu é que não gosto deles e os carrego somente para emergências.

Mas os smartphones têm lá suas vantagens! Não precisamos mais fingir que estamos interessados em um ponto específico do interior dos elevadores. Hoje cedo, de 4 pessoas no elevador do meu prédio, só eu não estava com a atenção fixa na tela de um telefone celular.

Mas o que isso tem a ver com o Tocandira? Admito que um telefone celular é algo extremamente útil em uma situação de sobrevivência. Não falo aqui em improvisações com o aparelho desmontado, mas a utilidade do aparelho para pedir socorro. Não sou muito tecnológico para afirmar, mas parece que tem aparelhos com GPS. Até pouco tempo, o local aonde eu filmava não tinha sinal de celular, agora, vejam que bacana, já usei até mesmo a Internet com um modem 3G!

Gostaria de saber dos leitores se os locais que vocês frequentam para suas atividades mateiras e pescarias pega sinal de celular. Afinal de contas, não há nada mais útil para pedir socorro atualmente! Torço para que, em breve, os sinais de celular cheguem aos locais mais distantes para tornar nossos passeios mateiros cada vez mais seguros!

Leia também:

10 comentários para “Telefones celulares

  1. 10 de março de 2014 at 14:17

    Oi Gasparello, também concordo com você na era tecnológica que vivemos, temos que, quase por uma “obrigação” acrescentar mais um item em nosso digamos “kit de sobrevivência” o que seria um celular e um GPS. Como você mesmo disse, dificilmente hoje em dia estaremos em algum lugar que esses dois aparelhos não funcione. Muito embora estamos longe ainda de um serviço 100% confiável no que diz respeito ao sinal da telefonia móvel mas por todos os lugares que já estive, e olha que não foi pouco principalmente em alta montanha já obtive sinal de celular. Portando, no meu entendimento esses são os itens de segurança indispensável para que curtem atividade outdoor.

  2. thiago henrique
    10 de março de 2014 at 14:35

    Opa pega sinal sim… mas depende da operadora, se tiver um aparelho com 2 chips é mais garantido! Acho legal por poder postar fotos do acampamento em tempo quase real, e hoje em dia se levar o celular, não precisa levar câmera fotográfica. Sem falar de outras utilidades em casos de extrema emergencia.

  3. Wagner
    10 de março de 2014 at 16:00

    pasme, moro praticamente ao lado de uma avenida considerada o centro financeiro da cidade, perto de grandes shoppings e não consigo falar através da operadora “Oi”… tendo q descer pra garagem pra dar um simples “Oi”!

    a partir daí qq coisa é lucro, rsrsrs.

    alguns locais q frequento pega perfeitamente bem, mas sempre uma ou outra operadora, com isso tenho chip das 4, até mesmo pela necessidade profissional, pois no interior a situação piora (longos deslocamentos e mt mais rápido pelas estradas).

  4. Marco
    10 de março de 2014 at 18:52

    Olá Gasparello, em minha casa sou um estranho no ninho pois não tenho celular. Minha esposa e 3 filhos tem e os pequenos ficam o tempo todo conectados, mas recentemente durante uma viagem, passamos por um pequeno problema mecânico com o carro e os 4 celulares tornaram-se peças de decoração. O meu bom e velho HT VHF/UHF Yaesu (sou radioamador licenciado) me permitiu contato com o repetidor de radioamador da região e através dele conseguimos socorro mecânico rapidamente. Concordo que os celulares são excelentes e indispensáveis hoje em dia, mas em termos de confiabilidade sou mais meus rádios. Depois disso minha esposa e filhos nunca mais falaram mal de meus “velhos” radios. Abraços

  5. Fernando
    11 de março de 2014 at 03:19

    E aí Gasparello, tudo bem? Embora não seja mateiro como você, faço trilhas (hiking) pelas montanhas aqui do Japão há algum tempo. A cobertura da rede de celular aqui é bem ampla, mas em montanhas mais remotas ela não chega. Descobri então um aplicativo que utiliza mapas de determinadas regiões de montanhas em que você faz o download previamente e estes mapas ficam arquivados no telefone. Então mesmo sem a cobertura da rede celular, é praticamente impossível se perder, pois o smartphone se utiliza somente do GPS, esse sim onipresente. Para mim, o smartphone é uma grande ferramenta. Abraços.

  6. Bruno Alexandre
    11 de março de 2014 at 03:55

    A utilidade doa smartphones nao tem fim trabalho com informatica e preciso esta conectado sempre, possuo um bom aparelho que me da autonomia de alguna dias em trilhas que faço(obvio desligando o gps wifi e internet para economia) mais descobri uma forma bem util de usar ele em acampamentos como geralmente faço trilhas em serras sempre da sinal (vivo) baixo em casa o mapa e uso uma bussola para me guiar uma forma simples mais eficiente pois tenho o mapa completo da regiao com direito a zoom para mais detalhes, usando o aparelho dessa forma vc eata seguro em emergencias, lembrando que levar um carrwgador solar e extremamente util tambem so basta prestar atençao nos mAh se compativel com a sua bateria se for maior melhor so nao pode ser menor.

  7. Hilton Cristovão
    14 de março de 2014 at 01:25

    Gasparello – meu saudoso pai cansou de afirmar que viajou o Brasil inteiro e nunca usou nem GPS e muito menos celular. Mas ele gastava muito tempo, hoje o que eu faço em 6 dias, ele gastava 2 semanas para fazer. No caso do GPS, os mapas do projeto brasileiro Track Source estão muito bons, por exemplo, na Transpantaneira (Poconé x Porto Jofre) todas as 120 pontes estão perfeitamente geo-referenciadas, estive na serra do Tepequém (Roraima) em outubro do ano passado, também os mapas de lá estão muito bons no Track Source. Com um bom mapa acessível no GPS você vai longe. Com relação ao celular, na Transpantaneira pega sinal da Vivo e na serra do Tepequém nenhuma operadora.

    Bruno Alexandre – minha experiência com carregador solar não foi boa, por isso levo comigo uma bateria 12 V 7Ah.

    Abraços

    Hilton
    Vitória – ES

  8. Fabio Luiz de Andrade Braga
    14 de março de 2014 at 20:20

    Tenho um sítio em Campo Largo, 30 Km de Curitiba e tenho que andar uns 2 Km pela estrada para pegar sinal. Também vou muito a Minas onde também não consigo falar no ponto em que fico, mas sempre levo celular porque se tiver dificuldade posso usar o mapa ou procurar algum ponto perto onde tenha sinal. Também baixei bússola, lanterna, previsão do tempo, fotos, pago contas…
    Faz parte de qualquer planejamento mesmo que não pretenda usar.
    Abraço a todos
    Fabio
    Curitiba/PR

  9. Arnaldo Diniz Lima
    13 de novembro de 2014 at 00:26

    Há algum tempo venho acompanhando seu blog e só tenho elogios. Fiquei bastante inquieto em busca de uma forma de ajudar ou mesmo uma forma de manter contato e demonstrar a admiração pelos ensinamentos repassados.
    Vou aproveitar que gosto bastante dos benefícios tecnológicos em nosso benefício em diversas situações, e não seria diferente para os “mateiros urbanos” (porque os mateiros no sentido literal da palavra não está muito preocupado em “sinal para celular”, “sistemas operacionais” e outros termos atrelados aos smartphones).
    Porém, não é porque temos um smartphone que não iremos buscar usufruir o que eles possuem de bom até em situações de trilhas ou aventuras.

    Inicialmente deixar claro que nunca devemos usar esses aparelhos como fonte principal de luz, de orientação ou qualquer outra necessidade fundamental em uma aventura, mas sim como um backup (uma fonte secundária ou até terciária – até melhor – de obter alguns recursos que possam ajudar. Então, o smartphone não deverá substituir uma lanterna ou uma bússola, por exemplo.

    As aplicações que irei listar são usadas por mim frequentemente, tanto em viagens como na “selva urbana” e estarei citando alguns sem fins lucrativos algum (até porque todos possuem versão gratuita) e lembrando que existem vários aplicativos com função semelhantes para todos os sistemas operacionais, ficando à critério de cada um.

    1) Bloco de notas: usado para fazer check-list (relação dos kit e de seus conteúdos, uso e validade de medicamentos, itens de equipamento, coisas para serem feitas durante a aventura) e textos diversos (azimutes, lembretes e informações em geral);
    2) Lanterna: pessoalmente utilizo um aplicativo (android) chamado Canivete Suíço que acumula: lanterna, bússola, cronômetro, espelho, calculadora, nível de bolha, conversor de medidas;
    3) GPS: utilizava o Polaris Navegation GPS versão gratuita, mas gostei tanto que adquiri e uso a versão paga. Trata-se de um GPS com coordenadas Lat Long, desde que o aparelho esteja em local que possa haver a triangulação de satélites, sem necessidade de sinal de operadoras e muito menos conexão 3G. Na versão gratuita é possível gravar 3 waypoints (sua casa, seu carro, a trilha principal, por exemplo) e na versão paga não tem limites. Tem muitas funções (GPS, bússola, horário do crepúsculo, etc), que apenas com um tutorial seria possível relatar mais detalhadamente (o que posso fazer posteriormente, caso alguém se interesse), mas o principal é que é possível traçar (e medir) sua rota a partir de um ponto de origem, facilitando assim seguir a rota de volta;
    3) Guia de nós e amarras: nesse caso, utilizo o aplicativo Guia do Escotismo que trás boas informações (ilustradas) sobre alguns nós e amarras e vem com alguns bônus: Código Morse, guia de noções de primeiros socorros e até um cardápio (com alimentos que o aventureiro leve consigo, então comidas simples de serem feitas);
    4)Também inseri um programa específico para transmitir código morse tanto por luz como sinal sonoro (aplicativo Morse Tools);
    5) Também utilizo um aplicativo para economizar bateria (existem inúmeras versões, a que utilizo realmente amplia bastante a vida útil da bateria mantendo apenas funções essenciais e desligando o desnecessário (luz intensa, internet, aplicativos em segundo plano). Mas recomendo, caso pensem em usar bastante seu aparelho, a adquirir uma segunda bateria e colocar em um pequeno saco estanque. Não pesa, não ocupa tanto espaço e poderá fazer a diferença para depois de “brincarmos” tanto com os recursos do smartphone, possamos realizar a função mais básica: ligar!
    5)Gravador de mídias diversas: fotos, vídeos e áudios. Alguns smartphones possuem uma excelente câmera e até gravam em HD, mas mesmo com aparelhos mais humildes é muito ter em um aparelhos compacto a possibilidade de registar um encontro com alguém, uma planta, um animal, ou gravar uma entrevista com alguém interessant
    Por último (ao menos por enquanto) lembrem: utilizem o smartphone (ou similar, claro) para seu benefício, mas procurem curtir a natureza, ou mesmo em um passeio urbano, conhecer prédios, praças, locais diferentes com ou sentidos atentos ao mundo exterior… deixemos para “ouvir música” jogar ou ver vídeos como alternativa para sair do estresse da rotina e não quando estamos em um momento de diversão e aventura.

    Espero que tenha contribuído com algo com esse texto.
    Abraços e continue sempre nos informando e nos empolgando com seus vídeos e informações.

    • José Luciano Gasparello Filho
      13 de novembro de 2014 at 17:57

      Caro Arnaldo,

      Muito obrigado por dedicar o seu tempo dividindo conhecimento!

      Atenciosamente,

      Gasparello

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing