Nu e abandonado

O programa Nu e Abandonado já foi exibido há algum tempo. Por mais que tivesse interesse em assistir, há muito não fico em frente à TV esperando qualquer tipo de programa e, até agora, só consegui prestigiar ao episódio final.

O protagonista é Ed Stafford,capitão reformado do exército britânico, que ficou famoso após percorrer toda a extensão do Rio Amazonas, da sua nascente até o mar. A jornada durou 860 dias e foi cheia de obstáculos, como picadas de insetos, conflitos com índios e traficantes, além de toda a sorte de dificuldades que a selva amazônica pode fornecer.

O programa não tem nada de apelativo. O objetivo de Stafford não é somente o de sobreviver por longos 60 dias sem qualquer recurso ou vestimenta, mas o de criar um ambiente que permita sua sobrevivência indefinidamente.

Fiquei com vontade de assistir aos primeiros episódios da série e ver todas as dificuldades que ele passou até conseguir criar o seu ninho de sobrevivência. Pela quantidade de reprises dos canais de TV a cabo, é bem provável que eu consiga assistir a todos os episódios.

Seguem algumas dicas de sobrevivência de Stafford. Concordo muito com o primeiro item (água é sempre prioridade) e não tenho opinião formada sobre o quarto item (sobre alimentar-se de lesmas e caracóis sem cozinhá-los):

1. A água é sua maior prioridade. Vale usar de tudo para armazená-la, desde cocos vazios e conchas, até garrafas plásticas que chegam junto com a poluição, pelo mar;

2. Côcos verdes podem substituir a água muito bem – seu líquido é ótimo para o organismo. Já a polpa é rica em calorias, porém depois de alguns dias você vai precisar de proteína para manter sua força;

3. Argila é o melhor protetor solar que você pode encontrar. Cave um pouco de argila do leito de um rio seco e a umedeça na água do mar – passar apenas lama na cara não vai funcionar tão bem;

4. Lesmas e caracóis são herbívoros, portanto podem ser comidos crus. Evite moluscos e crustáceos enquanto não encontrar um jeito de cozinhá-los, pois é muito fácil sofrer uma intoxicação alimentar consumindo-os mal preparados;

5. Para se proteger da chuva, enterre dois troncos em formato de ‘Y’ no chão e cubra-os com folhas de palmeira ou coqueiro. Para evitar o vento frio do mar, enterre-se em areia seca .

Você assistiu? Gostou da série? Achou que o local não era tão inóspito quanto poderia ser? Alguém poderia me dizer como ele conseguiu improvisar uma faca?

 

7 comentários para “Nu e abandonado

  1. Sergio Marchi
    18 de março de 2014 at 13:04

    Bom dia Gasparello ! Muito bom suas matérias, gosto muito.

    Então, ele achou um disco metálico na praia, um pouco maior que um CD, e esfregou na pedra até obter uma lamina. E o cabo ele improvisou como os machados de pedra antigos, cortou uma das pontas e amarrou. virou um ” machado” na verdade. Agora, aquele bode enroscado pelos chifres……

    Braço

    Sergio

    • José Luciano Gasparello Filho
      18 de março de 2014 at 14:36

      Aquele enrosco foi esquisito…

  2. 19 de março de 2014 at 18:27

    Também achei bastante interessante !

    abraço

  3. Wagner Santoso
    12 de abril de 2014 at 03:19

    O cara merece todo o crédito, agora o lance do bode acredito ter sido um “subsídio” da produção.

    Pelados na Selva também foi muito interessante.

    Abraço.

  4. marcos
    30 de julho de 2014 at 12:58

    aquele bode enrolado, por cipós naquele local, foi realmente estranho.

    • José Luciano Gasparello Filho
      5 de agosto de 2014 at 21:43

      Estranho é pouco! Pareceu mais parte de um roteiro bem elaborado para que o sobrevivente em questão conseguisse terminar seu desafio. Mas só podemos supor!

  5. Braz
    1 de outubro de 2016 at 23:14

    Marmelada com um bode amarrado eu fico até seis meses

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing