Facas em aço carbono ou inox?

Qual o melhor aço para facas?

A resposta é: depende! Com vontade de compreender um pouco mais sobre cutelaria, tenho me deparado com alguns textos interessantes. A partir de agora, reproduzo alguns trechos de textos encontrados, bem como alguns textos integrais, para que possamos aprofundar o conhecimento a respeitos dos elementos químicos presentes nos aços de nossas facas e, consequentemente, entender melhor o aço carbono e o aço inox. As fontes são citadas ao final da publicação, onde vocês poderão se aprofundar mais sobre o tema. Muitos se vangloriam de suas facas possuirem elementos como molibdênio ou vanádio, mas…. sabemos realmente a função de cada elemento? Segue um pouco do que encontrei pesquisando por aí. Começaremos a ver os principais elementos presentes no aço das facas, e depois veremos as principais diferenças entre o aço carbono e o inoxidável. Ao lado, a foto da faca KA-BAR modelo 1217.





Principais elementos presentes no aço das facas:

Carbono

É a liga básica de todo aço, presente também nos aços inoxidáveis. Se o Ferro não contiver carbono, não pode ser chamado de aço. Na composição de aços modernos destinados à cutelaria, quer sejam aqueles classificados como carbono ou os ditos inoxidáveis, dificilmente poderá existir menos do que 0,6% de Carbono, pois este é o principal elemento que, após a adequada têmpera, concederá dureza à peça.

Cromo

É o elemento fundamental dos aços chamados inoxidáveis. Este material é adicionado à liga com o intuito de proporcionar mais resistência contra oxidação. O cromo estimula a formação de carbonetos, aumentando a resistência ao desgaste, bem como a temperabilidade aos aços, reduz a velocidade crítica de resfriamento, de modo que a têmpera de aços com teores elevados de cromo seja feita preferencialmente em óleo ou ar. A adição de cromo torna mais fina a granulação dos aços, aumentando desse modo a sua resistência. Embora o Cromo não seja um “elemento mágico”, sua adição nos chamados aços nobres lhes confere características especiais, sempre desejáveis em itens de Cutelaria Fina.  Assim:

  • uma quantidade pequena (algo entre 0,25 e 0,50%) aumenta naturalmente a dureza, bem como reduz a presença de “pontos brandos”, moles, comuns a certos aços;
  • uma quantidade moderada (algo como de 0,8 a 1,25%) retarda consideravelmente a oxidação e a ação da corrosão; adicionalmente, um aço com essas porcentagens de Cromo será mais resistente à ação de agentes externos, tais como ácidos e outros elementos químicos que possam ocasionar manchas;
  • uma grande quantidade (a partir de 4%) aumenta a resistência à abrasão;
  • acima de 11% tem-se considerável aumento da resistência a manchas e oxidação.

Manganês

É usado para prevenir a formação de bolhas e está presente na maioria dos aços modernos. A adição deste elemento em quantidades entre 0,3 a 1%, permite extrair o Oxigênio dos aços, evitando a formação de óxidos indesejáveis. Essa mesma função desoxidante é também obtida com a adição do Silício, o qual ainda propicia maior tenacidade ao aço (tenacidade é a energia mecânica, ou seja, o impacto necessário para levar um material à ruptura. Tenacidade é uma medida de quantidade de energia que um material pode absorver antes de fraturar. Os materiais cerâmicos, por exemplo, têm uma baixa tenacidade).

Níquel

A maior função deste elemtento de transição é, de fato, a confecção de aços inoxidáveis. Por sua grande resistência à corrosão, é usado para prevenir a oxidação nas facas. É o elemento que realça ainda mais as características de tenacidade, além de contribuir para a não-ocorrência de fissuras e eventuais distorções e para aumentar a resistência à oxidação. Diminui a velocidade crítica de resfriamento produzindo ótima penetração de têmpera.

Vanádio

Mais encontrado em aços comerciais, serve para facilitar a eliminação de impurezas e no aumento da resistência ao desgaste. A adição de vanádio confere aos aços uma insensibilidade ao super-aquecimento, melhorando suas características de forjamento e usinagem, também aumenta consideravelmente a resistência de uma liga em relação à corrosão.

Tungstênio

Possui propriedades similares ao Molibdênio, como auxiliar no aumento da capacidade de endurecimento.

Silício

O Silício é usado em liga com o aço a fim de conferir maior resistência.

Molibdênio

Influencia favoravelmente a dureza, a resistência a quente, a fluência e a temperatura de crescimento de grão de austenita, além de melhorar a penetração da têmpera nos aços. O molibdênio não é empregado sozinho, pois apresenta uma tendência de diminuir a tenacidade dos aços. Em pequenas quantidades (entre 0,1 e 4%) aumenta a capacidade de endurecimento dos aços inoxidáveis martensíticos.

OBS:

A austenita é uma fase sólida não magnética constituída de ferro na estrutura CFC. É o ponto de partida para vários tratamentos térmicos nas ligas de ferro, pois partindo da austenita é possivel a transformação da liga em vários microconstituintes, como por exemplo a têmpera que consiste na transformação da austenita em martensita por meio de um rápido resfriamento da peça tratada termicamente. A fase foi denominada em homenagem a um metalúrgico inglês, sir William Chandler Roberts-Austen (1843-1902).

Aços  martensíticos contém cromo entre 11,5% e 18,0%. Em função da sua composição química, as características desses aços e as aplicações mais comuns são as seguintes:

  • tipos 420: pela razoável dureza e razoável tenacidade que adquirem após adequado tratamento térmico, são empregados em cutelaria doméstica, instrumentos cirúrgicos, eixos de bomba, válvulas, peças de motores a jato, mancais de esfera, parafusos, buchas, etc.;
  • tipos 440 A, 440 B e 440 C: devido ao alto teor de carbono, possuem alta resistência ao desgaste; por isso são empregados em instrumentos cirúrgicos e odontológicos, mancais de esfera, válvulas, bocais e outras aplicações em que, além de resistência à corrosão, sejam exigidas altas dureza e resistência ao desgaste.


Principais diferenças entre o aço carbono e o aço inoxidável

Conhecendo um pouco de cada elemento químico presente no aços, poderemos agora conhecer um pouco mais sobre as diferenças destes dois tipos de aço.

Aço carbono

Presentes na esmagadora maioria das facas artesanais, os aços carbono são resistentes e podem ser muito bem afiados, e são utilizados na cutelaria desde o próprio surgimento do aço. Uma grande vantagem do aço carbono é a possibilidade da chamada têmpera seletiva, um tratamento térmico diferenciado no fio em relação ao dorso da faca. Assim, pode-se ter numa mesma lâmina um fio extremamente duro e um dorso mais mole, garantindo um corte preciso e diminuindo a possibilidade do quebramento do material. De acordo com o padrão AISI, os aços carbono simples são classificados iniciando-se com o número 10, e tendo nos números subsequentes a porcentagem de carbono na liga. Assim, entende-se que o aço 1095 tenha aproximadamente 0,95% de Carbono em sua composição.

Comentário Tocandira: Algumas facas famosas, como o caso das Mora Triflex em aço carbono, utilizam a têmpera seletiva, por isso são tão resistentes e ao mesmo tempo tão afiadas.

Aço inoxidável

Os aços inoxidáveis são cada vez mais comuns e mais desejados no meio da cutelaria. Por serem capazes de suportar as condições hostis do ambiente ou a negligência do usuário em relação à manutenção, ele tipo de aço é recomendável especialmente para facas que terão contato significativo com estas situações. É válido lembrar que todo aço oxida, os chamados inoxidáveis, inclusive. Estes, todavia, apresentam maior resistência à oxidação, quando comparados aos aços carbono. Os aços inoxidáveis mais comuns na cutelaria são os da série 420 e 440, presentes nas facas mais simples, os aços AUS-8 e VG-10 e, mais recentemente, o CPM-S30V.

Comentário Tocandira: Tenho visto muitas pessoas criticando abertamente facas em aço inoxidável. Se você é o tipo de pessoa que toma cuidado com a conservação de suas facas, poderá encontrar no aço carbono um excelente companheiro, sendo um pouco mais fácil de afiar e de manter o fio do que o aço inoxidável, mas essa diferença, do meu ponto de vista, não é gritante. Com vantagens e desvantagens para os dois lados, reproduzo integralmente a opinião de Laércio Gazinhato, a qual compartilho.

O trecho abaixo é uma reprodução integral do texto encontrado no site http://www.knifeco.ppg.br/

A “Mágica” Inoxidável
As colocações a seguir NÃO são a apologia ou uma defesa apaixonada das virtudes de bons aços inoxidáveis, apenas informações técnicas atendendo a 2 (duas) perguntas que nos são frequentemente feitas. Como, pela simples adição de Cromo, um aço torna-se inoxidável? Em primeiro lugar, cumpre esclarecer que a palavra inoxidável (ou seja, não-oxidável) é incorreta para designar essa característica de alguns aços. O mais correto seria a designação “menos manchável”, uma vez que os aços assim classificados podem manchar-se em contato com certos elementos/substâncias e, em condições extremas desse contato, até mesmo oxidarem-se. A resistência de um aço dito inoxidável à corrosão é causada pela ocorrência natural de um “filme”, uma película, de rico óxido de Cromo que se forma em sua superfície. Essa película, ou “filme”, é extremamente fina, invisível, inerte e muito firmemente aderida ao metal. Quando a película é quebrada por ação abrasiva, ela naturalmente se auto-repara na presença de oxigênio. E lembre-se: o óxido de um metal é muito mais duro do que ele próprio, daí porque algumas modernas pedras de afiar sintéticas serem feitas de óxido de alumínio.
Uma lâmina inoxidável mantém bem o fio? Segundo o célebre cuteleiro norte-americano W.D. Randall, que produziu facas artesanais durante 50 (cinquenta) anos, e outros renomados cuteleiros da mesma origem, uma lâmina de bom e moderno aço inoxidável adequadamente temperada e afiada mantém seu fio 90% em relação a uma que utilize aço-carbono de boa qualidade e nas mesmas condições. Em outras palavras, uma lâmina de aço inoxidável adequadamente afiada e em condições similares de uso perderá seu fio apenas 10% (dez por cento) mais rápido do que uma de aço carbono. É fácil explicar isto: enquanto um bom aço-carbono moderno necessita ter, fundamentalmente, apenas 3 (tres) elementos – Ferro, Carbono e Manganês – um bom aço inoxidável precisa ter, no mínimo, mais um – o Cromo – e em grande quantidade e isto ocupa espaço, ou seja, é menos material duro.
A escolha de um bom aço para uma lâmina é uma questão da preferência pessoal e dos costumes de cada um…e opiniões individuais devem, sempre, serem respeitadas. Por outro lado, deve-se também considerar a maior natural durabilidade de um bom aço inoxidável, que é estimada como sendo 50 (cinquenta) vezes maior do que a de um bom aço-carbono, e sua consequente menor manutenção.

Veja o que já foi publicado neste site sobre afiação e conservação de facas.

  • Aço Carbono – Classificação SAE;
  • Tipos de Desbaste (perfis de corte) e Afiação;
  • Dica Tocandira para afiação de facas;
  • Como usar uma chaira;
  • Conservando facas em aço carbono;
  • Conservando facas em aço inox;
  • Visite a seção de facas e canivetes;
  • Inscreva-se no canal Tocandira do YouTube.
  • Fontes de pesquisa:

    • http://www.knifeco.ppg.br/ (Laércio Gazinhato)
    • http://www.silveiraknives.net/site/content/view/3/11/lang,br/
    • http://www.qualinox.com.br/acos-especiais-ligados.htm
    • http://www.infomet.com.br/acos-e-ligas-conteudo-ler.php?cod_tema=9&cod_secao=10&cod_assunto=79&cod_conteudo=106
    • http://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7o_inoxid%C3%A1vel
    • http://pt.wikipedia.org/wiki/Tenacidade
    • http://pt.wikipedia.org/wiki/Austenita

    15 Responses to Facas em aço carbono ou inox?

    1. Wilson on 20 de junho de 2012 at 8:02 PM

      o que devo passar nas facas artesanais para não enferujar e ficar brilhando igual as facas de inox. Aguardo resposta.Obrigado

    2. José Luciano Gasparello Filho on 20 de junho de 2012 at 8:19 PM

      Tanto as facas artesanais ou comerciais são feitas em aço carbono ou inox, então a conservação deverá ser parecida.
      Veja os links:
      http://blog.tocandira.com.br/facas/conservando-facas-em-aco-inox/
      http://blog.tocandira.com.br/facas/conservando-facas-em-aco-carbono/

    3. Robson OSO Santos on 23 de junho de 2012 at 1:57 AM

      Achei o tópico muito interessante e importante. Servirá de referência para mim e certamente o indicarei como de grande relevância. Parabéns pela iniciativa! Sucesso!

    4. Excallibur on 2 de julho de 2012 at 7:48 PM

      Caro amigo Tocandira.Acho que no seu “Comentário Tocandira-Tenho visto muitas pessoas criticando abertamente as facas em aço inoxidável”.Acho que vç quiz dizer “facas de aço carbono”,pois são elas que enferrujam com mais facilidade,e por isso esigem mais manutenção e limpeza.Não é mesmo? Ou estou eu errado?Um abraço

    5. José Luciano Gasparello Filho on 2 de julho de 2012 at 7:57 PM

      Na verdade, vejo pessoas criticando o aço inoxidável devido ao fato de reter menos o fio. Entre os aventureiros que visitam o site Tocandira, de um modo geral, a preferência é pelo aço carbono, mesmo que este aço tenha que receber maiores cuidados para sua conservação.

    6. marcosiguaçu on 13 de outubro de 2012 at 11:53 PM

      Bem amigos, sou colecionador de canivetes e devo possuir uns 20 ou mais exemplares. Pois bem, todos, a exceção de um, são em aço inox. E esse único em aço carbono, é o meu parceiro do dia-dia e vai para todo lugar pendurado no meu cinto. Está com a lâmina toda escura mas tem um fio espetacular, que mantém-se por bastante tempo sem precisar amolar. Então gosto de todos, mas para o meu uso diário, prefiro os em aço carbono. Abraços a todos!!!

    7. rondon on 7 de fevereiro de 2013 at 12:53 PM

      para serviço pesado (facão, machado, faca carne), escolho carbono. Para serviços em constante contato com água, ou que não posso ter muito cuidado, (tipo lamina de barbear, faca de cozinha, canivete), escolho o inoxidavel.

    8. LUIZ CARLOS GEMELLI on 30 de maio de 2013 at 12:55 PM

      ESTOU ME APAIXONANDO POR FACAS ARTESANAIS, JA FABRIQUEI 3 A PRIMEIRA USEI LAMINA DE SERRINHA DE CORTAR FERRO, NAO FICOU COM ESTETICA BOA, PARTI PARA LAMINA DE SERRARIA AI FICOU UM LUXO.

    9. Guiherme on 28 de outubro de 2013 at 7:00 PM

      tenho dúvidas a lamina anti reflexo, “negra” arranha facil, ou seja pode sair com facilidade essa cor preta?

    10. José Luciano Gasparello Filho on 28 de outubro de 2013 at 7:02 PM

      Caro Guilherme,

      Depende da faca e do método para escurecer ou pintar a lâmina. De um modo geral, todas arranham a pintura. Eu tenho gostado mais das facas com epoxi.

      Gasparello

    11. marcos on 25 de novembro de 2013 at 3:31 PM

      Com certeza depende do perfil de uso e de quem usa a faca, aos críticos do aço inox, vale lembrar que as tão caras e aclamadas laminas da Victorinox (o nome já diz tudo) são excelentes e são de aço inoxidável.

    12. adnilson on 18 de dezembro de 2013 at 10:02 PM

      cada uma tem suas vantagens ou desvantagens , mas e as facas de ceramica , nao oxida mas eo fio ?

    13. Marina on 8 de novembro de 2014 at 12:22 PM

      Olá. Você poderia me dizer se as panelas e formas de aço carbono, são saudáveis?

      Obrigada
      Deus Abençoe
      Marina

    14. Vanderlan on 21 de novembro de 2014 at 10:46 PM

      Muito bom, me ajudou. Valeu amigo.

    15. José Andrade on 8 de dezembro de 2014 at 4:24 PM

      Procurei este assunto porque acho as facas inox uma porcaria, inúteis!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    *