Facão Gerber Gator 18″ (machete)

À primeira vista me parecia um facão simplesmente fora de série. O comprimento da lâmina é de 18 polegadas, sendo que o comprimento total é de 25.7 polegadas. O cabo deve proporcionar uma ótima empunhadura em borracha anti-derrapante. Possui lâmina em aço carbono e o dorso é praticamente um serrote.

Pesquisando mais a fundo, acabei me desanimando com o facão. Deve ser um facão muito resistente, mas o cabo não é full tang, conforme a foto abaixo. Devido ao cabo, ainda prefiro os facões nacionais.

Leia também:

  • Facas esportivas Tramontina;
  • Facões Tramontina em Aço Carbono;
  • A Utilidade do Facão, da Faca e do Canivete em Situações de Emergência;
  • Faca Tramontina Amazonas;
  • Dica Tocandira para afiação de facas;
  • Como usar uma chaira;
  • Conservando facas em aço carbono;
  • Conservando facas em aço inox;
  • Visite a seção de facas e canivetes;
  • Inscreva-se no canal Tocandira do YouTube.
  • 18 comentários para “Facão Gerber Gator 18″ (machete)

    1. j luiz
      6 de setembro de 2012 at 13:42

      conheci o da cutelaria cimo, cabo aluminio 14 polegadas aço carbono, a lamina é mais grossa e pesada do que os tramontina e o custo por volta dos 55 reais, vale a pena.abraços.

    2. Gasparello
      6 de setembro de 2012 at 13:43

      Em breve estarei mostrando material da Cutelaria Cimo.

      Abraço

    3. 3 de outubro de 2012 at 05:07

      Olá Gasparello!

      Estranho, você comentou que desgostou do Gator por não ser full tang, mas elogiou o sistema de “refil” do facão de cana Cimo, que também não é full tang e cuja fixação do cabo à lâmina me pareceu beem pior…

      Abraço!

      Getulio

      • José Luciano Gasparello Filho
        4 de outubro de 2012 at 20:00

        São duas propostas diferentes. Um facão para corte de cana é para uso profissional, onde a troca da lâmina é uma boa solução para o uso contínuo em fazendas. Para quem compra centenas de facões, economizar em um detalhe como este pode fazer uma diferença muito grande em termos financeiros. Não conheço outros facões com este sistema de refil.

        Já a marca Gerber é muito famosa por facas robustas, com foco mateiro. Nesse caso, obviamente eu esperava um super facão, incluindo o perfil integral (full tang), ou pelo menos, um perfil mais longo no cabo, como é o caso dos facões Tramontina. Esse foi tão somente o motivo de minha decepção.

        Obrigado por sua opinião e leitura mais atenta.

        Abraço

    4. Rodrigo Hermann
      20 de dezembro de 2012 at 12:58

      Gasparello,

      Assim como você, logo me impressionei com este facão. A serra, o design, a empunhadura… comprei sem pestanejar(meu erro)! Logo depois, pesquisando, descobri que ele não era full tang, pra minha decepção! Meu Gator deve chegar esta semana, com esperança mas sem muita empolgação, vou fazer alguns testes com ele na mata(vou abusar mesmo) e ver como ele se sai. Depois dou um feedback!

      Abraço!

      • José Luciano Gasparello Filho
        20 de dezembro de 2012 at 14:01

        Caro Rodrigo,

        Aguardo suas impressões de seu novo equipamento!

        Gasparello

    5. Christian Hoyos
      5 de janeiro de 2013 at 21:09

      Caro Jose Luciano, realmente do teu ponto de vista tens razão, para trabalhador rural tem que ser algo barato, mas, se você for utilizar (como é meu caso) não tem problema coloca um cabo de aluminio arrebitado e solucionado o problema, fica firme e não da problema.
      Um Abraço

    6. Rodrigo Hermann
      14 de janeiro de 2013 at 17:11

      Gasparello,

      Como tinha dito anteriormente, levei meu Gator pra mata e fiz alguns testes que julgo, apesar de severos, fundamentais para qualquer facão que se preze!

      Empunhadura: Bastante confortável! Sua extensão proporciona várias opções de pegada e um revestimento de borracha garante mais segurança no seu manuseio.

      Serra: Excelente! As 15 polegadas de dentes bem afiados e bem dispostos serrou tranquilamente todo tipo de madeira que tinha disponível. Sem dúvidas, a melhor serra que já usei! (Único ponto negativo é que o seu dorso é a lamina, por isso nem pense em apoia-lo(vice-versa))

      Lamina: Uma vez afiada retém o fio por bastante tempo, porém quando estava derrubando um pequeno tronco(que apesar de duro, achei que não teria maiores problemas) notei um pequeno ‘entortamento’ no fio do Gator. Confesso que fiquei um pouco decepcionado com o ocorrido, tanto pela reputação que a Gerber tem na resistência de suas laminas quanto ao fato de que esse era apenas o 2° dia de uso do Facão! Notei também uma certa facilidade ao enferrujamento, principalmente na parte do fio onde não é ‘revestido’.

      Estrutura: Seus quase 500g são muito bem bem divididos, tornando-o, apesar de grande(aprox. 26″), leve e balanceado. Apesar de toda minha desconfiança quanto ao fato de não ser ‘full tang’, o Gator se mostrou bem resistente e seguro e não apresentou nenhuma folga ou sinal de fragilidade nesse sentido.

      Espero ter acrescentado alguma informação a este post e a este blog que é, indiscutivelmente, um dos melhores nesse segmento.

      Parabéns pelo trabalho!

      Abraço!

      • José Luciano Gasparello Filho
        14 de janeiro de 2013 at 20:45

        Ótimo review! Obrigado por colaborar com sua experiência com o equipamento!

        Gasparello

    7. 18 de fevereiro de 2013 at 01:39

      tambem desanimei deste. tenho 2 tramontina comuns. verifique a linha nova da cold steel e faz um review pra nos.

      abs

      • José Luciano Gasparello Filho
        18 de fevereiro de 2013 at 11:19

        Caro Victor,

        Difícil é ter orçamento para fazer estes reviews tendo as facas e facões em mãos!

        Abraço

    8. malachiel
      27 de março de 2013 at 07:05

      Gasparello, gostaria de saber sua opinião sobre o tamanho adequado do facão a ser levado para o mato. Sei que de certa forma é algo pessoal, mas será que não há um consenso com o tamanho do mesmo?

      Um facão com um tamanho muito avantajado atrapalharia? Um facão de 18″ ou mais seria uma ideia ruim?

      É que eu simplesmente acho 12″ disfuncional demais para se abrir picada e até se defender de possíveis ataques de animais! Ao meu ver um facão de 16″ seria o tamanho mínimo para tal, mas acima disso poderia atrapalhar!

      Qual sua opinião sobre isso? O deve ser levado em conta para se determinar o tamanho do facão, visando sua funcionalidade???

      Grato e parabéns mais uma vez pelo site!!!

      • José Luciano Gasparello Filho
        27 de março de 2013 at 11:23

        Já vi pessoas falando que o ideal seria o tamanho do antebraço. Talvez seja mais confortável de manusear desta forma. Eu prefiro facões maiores, para ficar um pouco mais longe da vegetação para evitar cobras.

        • Felipe da Silva
          13 de julho de 2017 at 21:29

          Olá, desenterrando a matéria, essa sugestão do tamanho, seria do antebraço e mais a mão esticada ou apenas do antebraço? Grato.

    9. 8 de maio de 2013 at 06:27

      Olá Gasparello!

      Só para registrar…

      Atualmente, com quase um ano bem intenso de uso do meu Gerber Gator Machete, versão de 18 pol. tenho as seguintes considerações:

      1. Empunhadura: imbatível, firme, confortável, a melhor que conheço em facões nacionais e importados. No entanto, notam-se pequenos sinais de desgaste na borracha, devido ao atrito com as mãos/luvas, deixando-a mais “lisa”. Nota-se também, pequena tendência do revestimento externo de borracha da empunhadura se soltar nas proximidades da guarda (até o momento sem danos ou prejuízos de conforto ou usabilidade);

      2. Junção empunhadura/lâmina: sem qualquer sinal de afrouxamento ou desgaste. O fato da espiga não ser ‘full tang’, até agora, não significou menor resistência;

      3. A lâmina realmente é bem flexível, talvez até mais do que deveria. Nota-se, em algumas situações, como no corte de galhos e troncos de madeira dura, que o aço entorta-se com maior facilidade do que em outros modelos;

      4. A serra em seu dorso é de grande eficiência. É possível serrar um tronco pequeno/médio com grande facilidade;

      5. Nota-se certa propensão à corrosão, o que obriga a manter a lâmina sempre lubrificada para sua correta conservação.

      Por hora é isso!
      Abraço!

      • José Luciano Gasparello Filho
        8 de maio de 2013 at 16:59

        Excelente colaboração! A opinião do ilustre proprietário! Agradeço muito a contribuição.

        Gasparello

    10. Marcelo Brito
      23 de novembro de 2013 at 04:05

      Obrigado pela informação. Estava interessado na peça e me decepcionei também, sem o site tocandira seria difícil descobrir essa informação.

      Um forte abraço.

    11. Arilton Segadas Coelho
      4 de fevereiro de 2014 at 03:39

      Amigo Gasparello, eu possuo este facão Gerber Gator Ha uns 3 anos e já o usei em diversas situações nunca me deixando na mão. Excelente facão, uma serra incrível, um cabo que no começo ao desmontalo para lubrificação fiquei um pouco desconfiável por não ser interiço mas até hoje não deu nehuma folga e como você disse, nas partes da lâmina (fio) requer lubrificação após o uso pois enferreja mesmo eu creio que é por ser de aço carbono né. Mas em tese, gostei muito do facão, apesar de achá-lo um pouco grande, pricipalmente o cabo.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    WP-SpamFree by Pole Position Marketing