Faca Imbel IA2

Apesar de achar os preços absurdos, estava muito curioso quanto às facas Imbel IA2 e AMZ. Optei pela IA2, menor e mais barata.

Acho bacana as facas com lâminas maiores, mas, sinceramente, não são de grande valia nos locais que frequento. Um faca menor irá trazer menos peso no conjunto de equipamentos, o que também levei em conta na minha escolha. Para trabalhos como abrir picada, não há nada melhor que o facão. Como não sou militar e não pretendo entrar em combate com minha faca, a IA2 está de bom tamanho.

A embalagem plástica vem com um selo de segurança para provar que a embalagem não foi violada. Um detalhe bem interessante.

A surpresa ruim foi encontrar uma rebarba típica de afiação em um dos lados do fio, o que deixou a faca nova completamente cega. Por ser uma faca tão cara, foi chato recebê-la mais cega que um morcego. Resolvi o problema rapidamente desbastando a rebarba com poucas passadas numa pedra diamantada. Utilizei somente o peso da faca (poderia ter sido outra pedra de afiação qualquer).

A lâmina é de aço carbono 1070, um pouco mole em relação às melhores facas estrangeiras, que costumam usar o 1095. A dureza na escala HRC também não é tão atraente. Faço este comparativo somente por conta do preços, compatíveis com as facas importadas de excelente qualidade, mas do meu ponto de vista, o aço mais mole pode trazer vantagens como: uma faca mais flexível, portanto, mais difícil de quebrar sob estresse, e também é uma faca mais fácil de afiar em campo.

Com desbaste parcialmente reto e um ângulo de afiação acima dos 20°, a resistência do fio também é boa.

O cabo é construído em nylon, um material excelente. O pomo de aço e a lâmina escurecida, em minha opinião, são itens essenciais em facas militares.

A bainha é ambidestra, um ponto levantado pela audiência Tocandira a partir de visualizações do vídeo publicado sobre a faca no YouTube. Geralmente me esqueço destes detalhes durante minhas análises.

A faca é boa, mas não excepcional.

Conheça os detalhes no vídeo abaixo:

Conheça o vídeo da Imbel mostrando a faca.

15 comentários para “Faca Imbel IA2

  1. Marcelo Clemente
    13 de abril de 2013 at 17:21

    Uai? Ja li aqui em algum lugar um poust sobre essa faca da Imbel. Inclusive respond lai uma duvida do pessoal sobre o perfil do desbaste da ponta da lâmina.

  2. Gasparello
    13 de abril de 2013 at 19:02

    Tem o link abaixo do vídeo do post antigo. Sua postagem está lá!

    Abraço

  3. Marcelo Clemente
    14 de abril de 2013 at 02:53

    Não se interessou em comprar o AMZ Gasparello?

  4. Wagner
    14 de abril de 2013 at 03:18

    grande Gasparello,

    tive uma imensa dúvida entre esta Imbel IA2 e a Tramontina Commander 10, mesmo sendo facas com conceitos distintos… Optei por esta última, de certa forma motivado até pelo review q vc fez dela e de opniões de outros companheiros, mas a solidez dessa Imbel quase me faz ficar com ela; pena é o preço ser tão fora da realidade do cidadão médio brasileiro, o de ambas.

    • 14 de abril de 2013 at 11:17

      Acho que os preços em geral são absurdos em nosso país… o “custo Brasil” talvez esteja relacionado à falta de competição e da ganância de todos os setores.

  5. 18 de abril de 2013 at 03:40

    Gasparello, adquiri uma AMZ. Paguei salgados R$350,00. A faca pode até não se nivelar com as importadas de custo próximo, que possuem outras liga de aço, mas mesmo assim, não me arrependi. Ela realmente é muito robusta. Lasquei lenha com ela,tocos de 20cm e até mais, de madeira dura, e ela resistiu tranquilamente ao estresse, tanto causado pela constrição da madeira irregular, quanto pelas impiedosas pancadas que desferi em seu dorso. A flexibilidade, realmente é uma vantagem nesse ponto. O pomo é quase uma marreta, o que eu levei bastante em consideração também, mas, o que senti mesmo, e me agradou, foi a distribuição do peso dela ao empunhá-la. Nem parece meio quilo de aço, muito confortável, evitando fadiga no punho e distribuindo muita energia nos golpes (na minha opinião, dispensa machadinha fácil). Para serviço pesado no mato (cortar pau, lascar lenha e martelar, tanto com o dorso como com o pomo) é perfeita. Vale ressaltar que, em um vacilo, a deixei cair de uma altura de 1,5m de ponta no cimento. O buraco ficou, mas a ponta continuou intacta, afiadinha como veio da fábrica. A bainha é outro item que merece respeito. Imponente, resistente, confortável e proporciona real segurança, possui uma mola de pressão no interior, para manter a faca sempre firme quando embainhada e a questão de ser ambidestra também faz uma grande diferença. Com ela na cintura e bem amarradinha na perna, você pode correr, rastejar, escalar barranco, subir em árvore e sentar no barco sem problemas, pois nem parecerá que está com um aço daqueles na cintura… muito funcional. A única desvantagem aparece, por conta do comprimento (10″) e do peso, na hora de abrir uma picada. Enfim, pesando os prós e os contras, estou satisfeito com o desempenho, mas concordo quanto ao preço… elevadíssimo! Na verdade, acabei comprando por impulso rsrsrsrs quase me arrependi, mas não.

    • José Luciano Gasparello Filho
      18 de abril de 2013 at 11:39

      Caro Raphael,

      É sempre muito bom ter a opinião de que usa o equipamento!

      Abraço

  6. Emerson dos Santos Urba
    27 de maio de 2013 at 22:47

    Eu não possuo esta faca, mas já vi blindados do exercito passarem por cima e nada aconteceu, parabéns pela ótima ferramenta.

  7. cleiton
    2 de junho de 2013 at 23:43

    ola onde encontro para comprar essas faca da imbel obrigado

  8. Alex Arruda
    5 de agosto de 2013 at 06:10

    É uma faca excelente, fiquei muito satisfeito com a minha. Mas o fio de fábrica não tava cortando nem água. Ruim demais. Mas isso é o de menos, só afiar que resolve.

  9. Carlos Mota Jr.
    3 de outubro de 2013 at 05:39

    E aí gasparello!
    Estou passando pois recentemente me interessei por camping, trilhas, etc.! Seu site tem ajudado muito

    Muito obrigado pelas dicas!

  10. Claudio
    3 de outubro de 2013 at 10:54

    olá Gasparello td bem?
    vc usa algum tipo de lubrificante pra guardar a faca?

    • José Luciano Gasparello Filho
      7 de outubro de 2013 at 12:29

      Em casa geralmente uso óleo mineral comum. Quando estou na roça uso óleo de cozinha mesmo. Sempre aplico uma fina camada após lavar a seca a lâmina.

  11. Carlos Frederico Barbosa de Almeida
    14 de outubro de 2013 at 16:30

    Gasparello, lembrei de uma coisa. A questão da afiação destas facas é simples de responder.
    Todo mundo fica decepcionado com o fio, mas devemos lembrar que faz parte de treinamento do soldado aprender a afiar facas.
    E os civis afiam da forma que desejar.
    Sds.,

  12. Carlos Frederico Barbosa de Almeida
    14 de outubro de 2013 at 17:17

    Eu que te agradeço a oportunidade e a agilidade da resposta.
    Sds.,
    Carlos

Comments are closed.