Faca Guepardo Hunter

A faca Hunter, da Guepardo, é uma pequena valente! A faca é bem resistente, construída em aço inox AISI 440. A lâmina, com aproximadamente 10cm de comprimento, é escurecida. O cabo é emborrachado e de pegada agradável. Também é uma faca leve, pesando aproximadamente 200g. Devido ao tamanho compacto e baixo peso, é uma boa opção de faca comercial para manter na mochila por não tomar muito espaço e também por não ser muito pesada. O cabo, de perfil integral (full tang), é um atrativo deste equipamento. É uma faca que, guardadas as proporções, pode ser utilizada como equipamento de sobrevivência. Confira mais detalhes no vídeo abaixo:

16 comentários para “Faca Guepardo Hunter

  1. 10 de outubro de 2013 at 19:34

    Muito bom, como sempre, Gasparello! Parabéns. Eu comprei esses dias uma faca muito parecida com essa da mormaii. A diferença é que a da mormaii vem com pederneira. Abç

  2. 10 de outubro de 2013 at 22:06

    Parabéns Gasparello bom vídeo , gostei da faca vou comprar uma para mim. Abraços.

  3. Arlison
    10 de outubro de 2013 at 23:08

    A faca é realmente muito bonita e me parece resistente.O cabo, por exemplo, me parece bem confortável.

    Em contra partida,como eu não confio nas autoridades policiais do Brasil, não teria coragem nem aconselho transportar o belo equipamento na mochila. Não vou entrar em detalhes, mas o momento que estamos vivendo me provocou essa ponderação.

  4. Rubem Maia
    10 de outubro de 2013 at 23:10

    Excelente! vou adquirir uma faca dessas…

  5. marcos h modesto
    11 de outubro de 2013 at 00:20

    gostei é uma boa faca,mas gostaria de saber porque a guepardo não faz umas laminas maiores com o modêlo da police ficaria nota 10

  6. Fernando Roberto da Silva
    11 de outubro de 2013 at 01:09

    Essa faca é show de bola! Temos uma loja da Guepardo aqui B. Camboriú. Aliás, essa marca tem produtos inovadores e de ótima qualidade! Eles oferecem um bom desconto para escoteiros…Parabéns Gasparello!

  7. Carlos Frederico Barbosa de Almeida
    11 de outubro de 2013 at 02:29

    Gasparello, boa noite!

    Antes de conhecer seu site e seus vídeos, já compartilhava com muitas de suas opiniões sobre os equipamentos e principalmente no que tange à segurança, material, o que é realidade e o que é ficção.
    Tive minha infância e adolescência e juventude marcadas pelo convívio com a natureza através de propriedade rural. Cavalos, bois, laço, trabalho no campo, mato, etc..
    Você está certo quanto às facas nacionais, sua manutenção, cuidados com manuseio e principalmente nas “expedições” que muitos acreditam que são capazes de fazer sem se preparar adequadamente.
    Como eu disse acima, já ví campeiros, vaqueiros e pescadores fazerem qualquer atividade considerada por muitos como “buscrafit” com simples facões e canivetes, Mas sempre com suas lâminas afiadas, conscientes de seus limites.
    Hoje vemos muitas facas importadas que realmente surpreendem pela qualidade da metalurgia, etc..
    Mas ainda acho que temos que valorizar o que é nosso as facas nacionais. É bom para estimular o debate e aumentar conhecimento, mas vejo vídeos de muita gente preocupada em apenas mostrar que tem uma Faca Ka-Bar, Extremaratio, discutindo se aguenta o “tranco” ou não.
    Alguns tem a coragem de comprar uma IMBEL IA2 ou AMZ e modificar o projeto, cortando a guarda, enfim modificando o que já foi projetado. Bom cada um na sua…
    Concordo com Você também no seguinte: Canivete não substitui faca, faca não substitui Facão, Facão não substitui Machado e Moto-serra.
    O gasto de energia para contar um galho com facão, é a metade do gasto no corte com uma faca ou canivete mais bruto.
    Enfim, o tema é abrangente, mas falando na Faca GUEPARDO HUNTER, digo que possuo uma, e já tinha encomendado na loja antes de chegar ao comércio.
    É muito boa!!! “Parruda e de pêga suave”.
    Parabéns pelo vídeo
    Abs.,
    Carlos Frederico

  8. Carlos Frederico Barbosa de Almeida
    11 de outubro de 2013 at 02:47

    Falando em Facas Nacionais, depois que assisti ao seu vídeo sobre a Faca Tramontina Commander 10″, resolvi comprá-la e posso dizer que ela aguenta mesmo o corte pesado e serve até descascar uma maçã…em fatias finas.
    Eu procurava uma Faca Pantanal de Aço Carbono para comprar, mas infelizmente ela saiu de linha (Uma lástima).
    Só por curiosidade, alguns amigos meus que tiveram a oportunidade de viajar para o exterior (Argentina, México, Colômbia, Espanha, Portugal, Chile, Grécia), me disseram que a antiga Faca Tramontina Pantanal, também conhecida como madre e hija, ou las hermanas (no México) são valorizadíssimas, quem tem, não vende e algumas lojas vendem em a preços altíssimos.
    E nós aqui no Brasil querendo comprar Facas Importadas, que as vezes não chegam nem perto da qualidade das nossas.
    O que está faltando agora é a indústria de cutelaria melhorar as bainhas e acessórios.
    Fica mais um comentário para debate…
    Abraço,
    Carlos Fredeerico

  9. Carlos Frederico Barbosa de Almeida
    11 de outubro de 2013 at 04:06

    Arilson, boa noite!
    Gostei da sua ponderação sobre o porte e o transporte de qualquer tipo de faca ou lâmina em carros, ou no cinto.
    Bem, o momento politico-social que estamos vivendo realmente oferece riscos e merece atenção.
    Acho que tudo depende de sua postura, local de uso e a forma de transporte.
    Se você for para locais urbanos com grande aglomeração, usando uma faca dessas ou outras de forma ostensiva, Você vai chamar a atenção e pode ter problemas.
    Dia desses eu fui parado em uma blitz no transito e o policial me indagou se eu transportava armas, drogas, etc… o de praxe na abordagem.
    Eu disse que estava com um canivete, um facão de 10 polegadas no porta malas e material de emergência EDC. E que ele ficasse a vontade para vistoriar o carro.
    Ele pediu que eu acompanhasse a revista e me liberou.
    Reiterando. Não aconselho transportar facas de forma ostensiva ou dissimulada na cintura ou panturrilha, etc.. Se você for civil concerteza vai ser muito mal interpretado. E terá problemas. Já imaginou Você ou quem quer que seja sendo visto perto de uma manifestação com uma faquinha dessas? Nem é bom pensar!!!
    Certas coisas e cenas só dão certo no cinema…
    Abraço,
    Carlos Frederico

  10. Arlison
    11 de outubro de 2013 at 17:24

    Carlos, concordo totalmente com seu comentário. O que me deixa temeroso é o despreparo das polícias, a lei é clara quando o assunto é o porte de armas brancas, mas existem diversos relatos de má interpretação. Hoje vivo em Brasília, eu não confio nas forças policiais daqui.

    Por exemplo, tenho três bons canivetes – um deles, da Tramontina foi indicação deste blog – preciso deles constantemente para cortar barbantes e coisas do tipo, mas como vivo entrando e saindo de órgão público – por causa do trabalho – onde a segurança usa aparelhos Raio – X, opto por deixar em casa e no lugar cego as tesouras alheias rs. Um dia quem sabe eu passe a enxergar as coisas por outras perspectivas rsrs. Abraços.

    • José Luciano Gasparello Filho
      11 de outubro de 2013 at 18:20

      Eu faço parte da força policial do Distrito Federal e não saio por aí prendendo quem porta canivetes. O porte destas ferramentas é questão de bom senso.

  11. Arlison
    12 de outubro de 2013 at 01:24

    Gasparello, pelo pouco que sei, nem existe espaço para prisão numa situação de porte de arma branca (apenas o porte, não me refiro ao quadro de ameaça,por exemplo, o que tipifica outro crime).No máximo – friso, pelo pouco que sei – a situação gera um Termo Circunstanciados de Ocorrência.

    Em muitos casos a ocorrência termina na rua mesmo quando o policial apreende o objeto e leva para algum lugar depois (???). Fico imaginando o que deve passar pela cabeça de um delegado ou de um agente de recepção de delegacia quando o policial militar faz a condução de alguém por uso de um canivete em via pública. Com tantos bandidos de verdade andando pelas ruas, deve ser vergonhoso para quem faz isso rsrs…

    Por fim, o que é bom senso para a maioria pode não ser para um, dois ou três. É nesse cenário que nascem as injustiças que prejudicam as pessoas de bem. Por isso não custa evitar.Eu evito, pois não confio nas policias.

    Aqui em Brasília como em outras cidades do Brasil, o cidadão de bem precisa contar com a sorte quando o assunto é abordagem policial. Se o agente de segurança pública não for com sua cara você terá problema de qualquer jeito, “devendo” ou não. Seja perdendo uma hora parado ou respondendo perguntas sem nexo e as vezes até de cunho pessoal.

    Quero deixar claro que nunca passei por nenhuma situação constrangedora envolvendo agentes de segurança pública,mas conheço histórias que muito degradam a imagem das corporações. Saliento que admiro homens e mulheres de farda que não estão lá apenas para ganhar salários.

    É isso gente, obrigado por permitir que eu expresse minha opinião sobre um assunto tão delicado.

  12. Carlos Alberto VSS
    12 de outubro de 2013 at 04:11

    Satisfações em revê-lo meu amigo… Abraços

  13. Carlos Frederico Barbosa de Almeida
    12 de outubro de 2013 at 14:52

    Arilson, bom dia!
    Que bom que meu comentário te ajudou e o tema é exaustivo.
    Sou Advogado licenciado pela OAB/RJ desde 2000. Deixei a prática forense porque não sou muito chegado à burocracia. Mas tenha certeza que o Direito Brasileiro seja talvez um dos mais completos do mundo (tanto que permite a reanálise da Decisão da Maior Corte Judicial do Pais -STF- Vide o caso dos Embargos Infringentes do Mensalão).
    Isto porque todo ser humano, mesmo em Órgão Colegiado pode errar.
    Apesar de parar de Advogar, não parei de estudar.
    Também sou Técnico em Mecânica Industrial e Metalurgia, o que me permite tecer comentários sobre cutelaria, etc.. Como eu gosto de aventuras fui trabalhar na indústria de Petróleo Offshore e conheci gente do Brasil e do Mundo Todo (saudade dos voos de helicóptero, dos pousos em navios com vento de 50 knots).
    Até que, depois de cinco anos nesta área, resolvi voltar a estudar para Concurso Público (Polícia Federal e Rodoviária Federal).
    Já fiz as provas estou aguardando os resultados.
    Voltando à questão do porte de lâminas, a Legislação Brasileira, até onde eu saiba, não proíbe o uso de canivetes, facas, facões, machados, foices, serras, estiletes, pois são considerados instrumentos de trabalho (exceto as baionetas de uso militar).
    Se nos locais do seu trabalho existem normas que proíbam o uso pessoal de lâminas, é uma questão particular, e você precisa explicar que são suas ferramentas de trabalho.
    Quanto a locais públicos mantenho minha opinião, eu as vezes uso canivetes e facas na cintura. Já imaginou, se fosse crime? Como é que eu ia para o sítio trabalhar? As casas de produtos agropecuários e materiais de construção teriam que fechar. Minha irmã casou ano passado e eu (padrinho) dei de presente um jogo de faqueiro bonito e tal (Dei “12 armas brancas e caras”..ris, para ela e meu cunhado).
    Como é que o vendedor de água de coco ia abrir os cocos na praia sem um facão?
    O próprio Gasparello, que é Policial já te respondeu que não é assim. Não precisa ter medo.
    Aproveito aqui, para Parabenizar o Sr. José Luciano Gasparello Filho pela iniciativa do TOCANDIRA, e peço permissão para fazer parte de sua comunidade.
    Gasparello, quando eu estiver em Brasilia na Academia de Polícia, gostaria, se possível, de bater um papo e trocar umas idéias sobre vários assuntos.
    Bom, acabei escrevendo quase uma tese, mas a satisfação foi muito grande!
    Abraços,
    Carlos Frederico
    Ps: Pode me chamar de Carlos, de Frederico, de Fred…

  14. Márcio
    17 de outubro de 2013 at 18:18

    Finalmente uma faca para bushcraft boa e com preço acessível no Brasil. Sempre tive um pé atrás com a Guepardo mas qdo o produto tem qualidade merece divulgação. Qto ao porte de lâminas no ambiente urbano só confio no canivete suíço. Ontém mesmo eu estava utilizando o meu numa praça, policiais passaram por mim e nem deram atenção ao fato, pois se trata de uma ferramenta de trabalho.

  15. thiago henrique
    28 de outubro de 2013 at 22:31

    Amigo Gasparello, na sua opinião ficaria com a Hunter ou a Big Fish da guepardo? Estou na duvida, mas tendendo pela Big Fish por ser um modelo mais classico com cabo de madeira, o que me agrada mais. Mas em termos de resistencia e custo beneficio qual sua opinião? Estou feliz com a Guepardo por produzir boas facas a preços acessíveis… Abçs

Comments are closed.