Desafio em Dose Dupla Brasil – Montanha Abaixo

Novamente na Patagônia, a dupla de sobreviventes já começa o episódio divergindo sobre a construção do abrigo, mas logo a crise é apaziguada e os dois seguem o restante do programa sem maiores problemas. O fogo é iniciado facilmente com o auxílio de uma barra de magnésio. Quando ganhei a faca Izula, presente do Ivan Scarola, colunista Tocandira, já dependurei junto à bainha da faca uma barrinha de magnésio bem simples. É um excelente método para iniciar o fogo e muito melhor do que andar somente com a pederneira a tiracolo.

A dupla conseguiu abrigo, fogo, água e comida com facilidade. A maior dificuldade foi vencer o percurso. Parabéns ao cinegrafista, que sempre estava um passo à frente no momento que os protagonistas desceram um paredão com uma corda. Várias imagens foram feitas com o cinegrafista já na parte de baixo. É uma observação um pouco exagerada de minha parte, uma vez que o restante da equipe não precisa passar as mesmas privações que Leo Rocha e o Coronel Leite. Mas confesso que nestes momentos tenho saudades do Survivorman.

Gostei do método mostrado pelo Coronel Leite para não abandonar a corda, apesar de que o resgate do equipamento não apareceu com clareza, mesmo assim, mostrar a técnica foi muito interessante. Certa vez, Bear Grylls usou a volta do salteador para resolver o mesmo problema. Que bom que usaram um método diferente, isso prova que os sobreviventes brasileiros estão se esforçando para mostrar novas técnicas. Outra dificuldade foi atravessar um rio de temperaturas congelantes.

Não tenho certeza se alguém da dupla ou da produção lê meus textos, uma vez que não costumo rasgar elogios, mas seria muito interessante que pudessem mostrar mais técnicas indígenas e, também, que pudessem ter um pouco mais de paciência na hora de filmar as plantas, com tomadas que permitam aos telespectadores conhecerem melhor os vegetais úteis utilizados em cada episódio.

Gostei da maioria dos programas desta primeira temporada. Espero que a versão nacional do Desafio em Dose Dupla prospere e que possamos ver Leo Rocha e o Cel Leite mais vezes, melhor ainda que seja em território nacional.

Para quem perdeu este episódio: http://www.youtube.com/watch?v=AggsQLeva7w

 

 

 

 

5 comentários para “Desafio em Dose Dupla Brasil – Montanha Abaixo

  1. Gilberto Pinheiro da Rocha
    26 de setembro de 2012 at 00:47

    Luciano, o ambiente é um espetáculo. Gostei do improviso na técnica vertical para desce o paredão!!! Mas fiquei em dúvida na ancoragem, vou ver com mais atenção a reprise para poder comentar. O uso da pederneira em locais úmidos é uma “excelente” opção.

  2. José Luciano Gasparello Filho
    26 de setembro de 2012 at 00:50

    Olá Gilberto,

    Na verdade, o que mais gostei foi a técnica para recuperar a corda!

    Abraço

  3. Haroldo Porto
    26 de setembro de 2012 at 01:35

    Realmente! A parte da ancoragem não ficou muito bem entendida. Foi em uma planta?

  4. Gilberto Pinheiro da Rocha
    26 de setembro de 2012 at 13:26

    Foi interessante a solução para recuperar a corda, ainda não tinha visto, mas acho passivo de falha, dependendo das condições de posição e ângulo em que se encontram as peças. Teria usado uma técnica diferente e mais eficiente ao meu ver. Vou fazer um artigo mostrando algumas maneiras de recuperar cordas em atividade vertical.

  5. Frederico da Silva Hermenegildo
    5 de outubro de 2012 at 20:31

    É muito difícil de mostrar em apenas uma filmagem,as plantas que se pode comer sem nos faser mal, tantas são as semelhanças de alguns vegetais,que, para quem não conhece o parecido é igual.Quanto ao restante achei muito maneiro algumas das tecnicas ja são nossas conhecidas das F.Es. e da rapasiada de SELVA, enfim são muitas coisas pera se passar em apenas 1 programa. O ideal seria se fazer um seriado por quinzena ou ao melhor de contento, aí sim da para passar bastante conhecimento, poderia até fazer escurssões de montanhistas, pessoas esperientes em acampamento,militares na reserva ou não, bombeiros de resgate florestal, PM florestais, e uma infinidade de possibilidade de aprendizado para evitar de as pessoas estarem falando besteiras por ai, e o que é pior,sair por aí encinando o que não sabe, pelo simples fato de achar que sabe. Aja visto agora esta situação da corda, é querer fazer sem saber e ala não aguenta o pezo e o cara cai… .Vamos aprender mesmo para evitar acidentes. SELVA!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing