Como escolher a barraca certa?

O objetivo deste artigo é orientá-lo na compra da barraca de camping mais adequada para suportar as chuvas brasileiras e como montar uma barraca para acampar de modo seguro. Este artigo foi escrito com base em testes realizados com barracas Náutika, Coleman, Azteq, Guepardo e Mormaii, marcas mais comuns em solo nacional.

Participo de fóruns de aventura, leio blogs diversos, e sempre existem relatos de amor ou ódio para certas marcas e modelos de barracas para camping. Existem algumas barracas, como aquelas mais baratinhas que não possuem sobre-teto, e que não deveriam ser usadas em períodos chuvosos ou com a simples possibilidade de chuva. Algumas até resistem contra chuviscos, mas proteção contra a chuva não é o foco destes equipamentos mais simples. Tomo como exemplo as barracas: Náutika Panda, Náutika Kongo, Guepardo Atena e Mormaii Bali. Estes tipos de barracas devem ser utilizadas em áreas cobertas ou em climas secos.

Qual barraca comprar?

Boa parte das barracas comercializadas no Brasil, com sobre-teto, quando montadas de forma correta, poderão suportar pancadas de chuva mais fortes, isso não quer dizer que irão suportar chuvas prolongadas. É importante fazer uma ressalva: alguns fabricantes deixam claro que alguns modelos, mesmo com sobre-teto, são feitos para tempo seco, como o modelo Náutika Fox. Antes de comprar, consulte o site do fabricante/importador para informações adicionais!

Testes de barracas do site Tocandira!

É possível ter uma ideia da capacidade que uma barraca tem de suportar a chuva pela medida chamada de coluna d’água. A coluna d’água indica a quantidade e a intensidade de chuva que o tecido de uma barraca pode suportar, sendo utilizada como unidade de medida o milímetro (mm). Barracas entre 800mm e 1.000mm de coluna d’água, dependendo do acabamento e dos materiais empregados, até podem suportar chuvas, como a Náutika Falcon e Coleman LX, aliás, os desempenhos destas duas barracas foi muito bom durante temporais, mesmo com a coluna d’água em valores mais baixos. Mas, se puder, compre sempre equipamentos superiores. As barracas que testei com a coluna d’água a partir de 1.200mm têm proporcionado uma ótima proteção contra as intempéries, porém, os testes não são feitos com chuvas contínuas. O ideal para climas tropicais são barracas a partir de 1.500mm de coluna d’água, sendo que as barracas de qualidade superior oferecem uma coluna d’água a partir dos 2.000mm ou mais.

Muitas pessoas que têm suas barracas inundadas, geralmente, não possuem o equipamento adequado para clima chuvoso ou não conseguem montar a barraca de forma correta, talvez por negligência ou por falta de conhecimento. Aí, o que chove, são críticas aos equipamentos, muitas vezes injustas. É muito comum vermos nos fóruns mensagens do tipo: “minha barraca foi a única que não molhou” – como se todas as outras fossem ruins. É fato que barracas antigas podem ter sua capacidade de repelir a água comprometida, que barracas novas possam vir com defeitos de fábrica, que certas marcas não consigam manter uma boa relação com os consumidores, e é certo que a qualidade entre marcas e modelos é bem diferente. Se você quer uma barraca que realmente o proteja da chuva, terá que gastar um pouco mais.

Se o seu equipamento é novo, não tem defeitos de fabricação e se você está feliz com o modelo que escolheu, abaixo seguem algumas dicas para a montagem correta de seu equipamento.

Evite comprar barracas parecidas com esta. Barracas sem sobre-teto não são feitas para suportar a chuva.

As dicas abaixo são para barracas com sobre-teto, ou seja, a barraca que vem com duas partes bem distintas e separadas. Estas partes são o habitáculo, composto pelo piso e mosquiteiro; e o sobre-teto (o toldo) que efetivamente lhe dará proteção contra a chuva:

Mesmo as barracas sem um sobre-teto que cubra totalmente a porta do habitáculo, se montadas de modo que a porta fique do lado contrário do vento, poderá protegê-lo da chuva a contento.

 

  1. Ainda em casa, monte sua barraca para ver se não falta nada e se o equipamento não apresenta defeitos, principalmente nas varetas de sustentação. Não deixe de conferir se as estacas são em número suficiente;
  2. Em primeiro lugar, escolha um local, se possível, protegido do vento e do sol. Com o tempo, a longa exposição ao sol irá danificar as costuras seladas e o tratamento impermeabilizante de sua barraca. Apesar da procura por uma sombra seja algo interessante a se fazer, prefira montar a barraca de modo que você não fique diretamente embaixo de grandes árvores, devido ao perigo de raios e de quedas de galhos maiores;
  3. Cuide muito bem do terreno sobre o qual monta sua barraca, remova todas as pedras e galhos que poderão danificar o piso. Pequenos furos no piso podem ser um grande transtorno em caso de chuva;
  4. Procure o lado do vento dominante e monte sua barraca com a porta voltada para o lado contrário. Se a sua barraca não possuir um sobre-teto longo o suficiente para proteger a porta da água da chuva, montar a barraca do lado contrário ao vento irá ajudar a evitar a entrada de água (Guepardo Jungle, Guepardo Vênus, Coleman LX e Mormaii Brava). Em situações de ventos extremamente fortes, não virar a porta “de cara para o vento” pode evitar que seu equipamento saia voando quando a porta estiver aberta;
  5. Levando em conta que sua barraca possui sobre-teto, estenda-o corretamente, bem esticado de modo a não encostar no habitáculo. Bem esticado não significa arrochado! Deixe uma pequena folga para que o material trabalhe em caso de vento. Lembrando que chamo de habitáculo a parte composta pelo piso mais o mosquiteiro. Se existisse algum segredo para evitar a água da chuva, certamente seria este;
  6. Coloque as estacas na posição de 45º tanto na estrutura quanto no sobre-teto. Se o terreno for muito mole, improvise estacas mais longas ou ancore sua barraca amarrando-a em pedras ou na vegetação disponível. Levar um bom pedaço de corda de 1.5mm poderá ajudá-lo em situações onde o terreno não é favorável.
  7. Se a sua barraca possuir cordeletes para ancorá-la, use-os. Os cordeletes são importantes para proteger sua barraca contra o vento e para manter o sobre-teto longe do habitáculo;
  8. Manipule os zíperes com cuidado, abra e feche as portas e janelas com muita cautela. Qualquer dano a qualquer zíper de sua barraca poderá estragar o seu acampamento de modo a deixá-lo vulnerável a insetos e animais peçonhentos;
  9. Existem regiões do Brasil em que as estações seca e chuvosa são bem definidas, mas de um modo geral, em situações onde a chuva é possível, nem sempre pode ser uma boa ideia colocar uma lona por baixo de sua barraca, isso poderá fazer com que a água da chuva empoce entre o piso e a lona. Caso o piso da barraca tenha um pequeno furo, por menor que seja, poderá entrar muita água dentro de sua barraca. Alguns fabricantes pregam o uso de lonas no fundo da barraca para prolongar a vida útil do piso, mas nem sempre isso é necessário, avalie caso a caso. Se você optar por usar a lona, tenha o cuidado de cortá-la na exata medida do piso de sua barraca, ou até um pouco menor, para evitar o “efeito piscina”;
  10. Para aumentar a durabilidade do piso da barraca, é interessante colocar uma lona por dentro, de modo a formar uma área côncava. Isso poderá salvá-lo de ficar em contato com a água da chuva no caso de um furo no piso. Este procedimento também poderá evitar cortes e furos acidentais e ajudará a manter o interior da barraca livre de terra ou areia, facilitando a limpeza. Para quem vai caminhar longas distâncias com a mochila das costas, o uso da lona talvez deva ser evitado para não comprometer a mochila com tanto peso e volume, mas se você vai montar acampamento ao lado do seu carro, levar alguns pedaços de lona não lhe trará transtornos;
  11. Só entre na barraca descalço, para evitar que o atrito entre os seus calçados e o piso acabe por danificar o equipamento;
  12. A ventilação é parte importante e evita a condensação do ar de sua respiração, que poderá molhar seu equipamento tal qual a chuva. Barracas com sobre-teto montadas corretamente costumam formar um bolsão de ar entre o habitáculo e o sobre-teto, fazendo com que o ar condense no sobre-teto e não no habitáculo. Se o sobre-teto estiver bem esticado, a água irá escorrer para longe do habitáculo. Um exemplo para saber o que acontece com a condensação do ar de sua respiração é observar uma lata de refrigerante gelado, que “sua” quando em contato com o ar quente;
  13. Caso não consiga manter o sobre-teto afastado do habitáculo, carregue alguns balões de aniversário ou, até mesmo, preservativos. Encha-os somente o suficiente e os posicione entre o habitáculo e o sobre-teto. Esta é uma dica para utilizar em barracas que não são concebidas para chuva ou quando o sobre-teto é pressionado pelo vento contra o habitáculo;
  14. Fique atento para não colocar mochilas ou outros objetos de forma a encostar o mosquiteiro no sobre-teto, o que poderá facilitar a entrada de água;
  15. Carregue com você um pedaço de fita do tipo Silver Tape, que poderá ajudá-lo em reparos de emergência;
  16. Limpe sua barraca, de preferência antes do voltar para casa, para evitar a preguiça. Leve um pano para auxiliá-lo nesta tarefa;
  17. Nunca guarde sua barraca molhada!
  18. Apesar das barracas mais comuns, se montadas corretamente, conseguirem protegê-lo das chuvas, procure comprar sempre o melhor equipamento que seu dinheiro permitir. Comprar um bom equipamento, é garantia de não ter que comprar duas vezes! Se o seu orçamento permitir, prefira sempre as marcas mais renomadas, isso evitará que você seja “boi de piranha”, testando barracas ainda pouco conhecidas.

Como comprar uma barraca (materiais utilizados)

Atualmente, as barracas são fabricadas em tecidos chamados de poliéster ou de nylon (no Brasil conhecido como poliamida). É um erro comum tratar como nylon o material da maioria da barracas, uma vez que boa parte dos fabricantes prefere o poliéster. O poliéster tem propriedades similares ao nylon, mesmo assim, é um tecido relativamente inferior e também mais barato, mas não é um produto ruim, principalmente em se tratando de barracas. O poliéster, por exemplo, suporta melhor a abrasão e os raios UV do sol. Por outro lado, as melhores barracas que conheço utilizam nylon em pelo menos algum item do equipamento, como o piso, ou em quase todas as partes da barraca, mesmo com as propriedades de abrasão do poliéster sendo superiores, talvez este seja um bom indicador da qualidade superior do nylon. Já vi sites de importadores chamando de de nylon aquilo que é poliéster, na verdade, a maioria dos fabricantes coloca em seus sites informativos que a barraca é feita de nylon quando provavelmente não é. Eu não sei reconhecer a diferença só de olhar, mas é provável que quase todos os fabricantes usem o poliéster. Espero que isto seja devido à ignorância e não a má fé, afinal, quase ninguém sabe diferenciar um tecido do outro. Também é muito comum que o fabricante ou importador omita quais são os tecidos utilizados. Isso acontece, inclusive, com os fabricantes mais renomados do Brasil, como a Trilhas e Rumos (pelo menos até a data que escrevi este artigo). Acho lamentável. Gosto de saber todos os detalhes daquilo que compro.

O piso é geralmente de polietileno, vulgarmente conhecido como plástico! Estes pisos podem ser de diferentes densidades e durabilidade. As melhores barracas trazem piso de nylon, mais leve, resistente e menos volumoso. São raras as barracas com pisos diferentes de polietileno.

As varetas mais comuns são as de fibra de vidro. Quanto mais frágil a barraca, mais finas serão as varetas. Ótimas barracas trazem varetas de duralumínio, o que, obviamente, tem reflexo nos preços.

As estacas podem ser tanto de aço quanto de alumínio. Muitos artigos falam que as estacas de aço são mais pesadas, porém mais fortes. Discordo. A durabilidade de uma estaca de aço está diretamente ligada a bitola da peça. A maioria das barracas traz estacas de aço bem finas, que entortam facilmente ao encontrar terrenos mais duros. As estacas de alumínio podem ser bem resistentes, também dependem da bitola ou do formato da peça. Algumas estacas, geralmente vendidas separadamente em lojas de camping, possuem um formato diferenciado, e são bem fortes, como na foto ao lado.

É muito comum também encontrarmos mosquiteiros feitos de tecido chamado NO SEE UM. Nome bacana, não é mesmo? Como tenho avaliado diversas barracas, e a maioria anuncia mosquiteiros NO SEE UM, resolvi colocar o nome no Google. NO SEE UM é um minúsculo mosquito. Então, quando o fabricante coloca estes termos para designar seu mosquiteiro, ele quer dizer que o equipamento garante uma ótima proteção mesmo contra os menores insetos. Em tempo, a maioria dos mosquiteiros são fabricados em poliéster de diferentes qualidades, alguns mais frágeis, outros mais resistentes. Dentre os mosquiteiros de boa qualidade, gosto muito daqueles utilizados nas barracas Coleman.

Salvo raras exceções, a esmagadora maioria das barracas comercializadas no Brasil são fabricadas com sobre-teto e mosquiteiro de poliéster, piso de polietileno e estacas de aço quase sempre frágeis, ou seja, que entortam com facilidade.

Mas devo comprar uma barraca 3 ou 4 estações?

Em minha humilde opinião, estes termos são mais indicados para locais com climas extremos de nevascas e ventos fortes e não se aplicam ao Brasil. De um modo geral, as barracas vendidas em nosso país se encaixariam no termo 3 estações, salvo algumas barracas técnicas voltadas para alpinismo, que não é o foco deste artigo. Claro que temos, eventualmente, neve em algumas regiões do país, mas não se compara com os climas Europeu ou da América do Norte.

“Il Gran Finale”

Parecem dicas demais, não é mesmo? Mas se você parar um pouco para analisar, a maioria do que foi escrito é meio óbvio e ululante. Outras dicas são fáceis de memorizar e certamente você irá lembrar delas quando estiver montando seu acampamento! As dicas sobre os materiais utilizados na fabricação são voltadas para aquelas pessoas que gostam de saber de todos os detalhes!

Este texto é fruto de um árduo trabalho e envolve a experiência e o conhecimento do autor. Ninguém está autorizado a copiar ou reproduzi-lo em sua totalidade ou qualquer trecho. Se você gostou do artigo, o compartilhamento de links pelas redes sociais apontando para a fonte original é permitido e encorajado.

Se preferir, assista ao vídeo abaixo (o texto está bem mais completo).

Conheça o canal Tocandira no YouTube e inscreva-se para ficar por dentro da novidades!

Leia também:

26 comentários para “Como escolher a barraca certa?

  1. Antonio Miranda
    25 de fevereiro de 2013 at 20:21

    Olá Gasparello, como sempre uma “beleza” de post. Parabéns ótimas dicas .

  2. josé alves
    26 de fevereiro de 2013 at 15:41

    Gasparello, como devo lavar e com que produto a minha barraca?

    abraços
    boa tarde

    • José Luciano Gasparello Filho
      26 de fevereiro de 2013 at 15:49

      Não gosto de usar sabão, sempre que possível, uso uma pano úmido ou uma esponja e deixo secar. Se não conseguir resolver, use uma esponja com sabão neutro. Mas você deve remover bem o sabão antes de secar e guardar o equipamento.

  3. josé alves
    27 de fevereiro de 2013 at 10:50

    bom dia amigo
    obrigado por me respoderes
    abraços

    abraço

  4. huarley
    13 de março de 2013 at 02:59

    Gasparelo fiz uma pergunta no youtube acabei encontrando a resposta
    aq no site…
    mas ainda quero fazer uma outra pergunta,
    qual barraca (até 150,00) vc indica para chuvas fortes e passageiras?

    • José Luciano Gasparello Filho
      13 de março de 2013 at 11:09

      A Guepardo tem barracas com boa relação custo benefício. Mas fique atento, para que uma barraca suporte chuvas, é necessário que possua sobreteto.

  5. Leonardo
    1 de abril de 2013 at 22:17

    Caro Gasparello, para trekking de 2, 3 dias, acabei ficando em duvida entre a Falcon 2 e a Everest 1. Costumo acampar desde travessias como Petrópolis-Teresópolis, como praias semi-desertas. A Falcon é mais leve e maior, além de ser auto portante, porém nas instruçoes, aguenta só 800mm de água, enquanto a Everest 1, suporta 2000mm de coluna de água. Apesar de sempre levar uma lona 4X2, fico temeroso com esses números, pois em termos práticos, não sei o quanto cada um representa, se farei uma boa compra. Por qual deveria optar, em termos de custoXbenefício para estas situações mais digamos “extremas” em nosso território? Qual teria maior conforto e durabilidade?
    Desde já obrigado!

    • José Luciano Gasparello Filho
      2 de abril de 2013 at 14:09

      Não gosto de opinar sobre compras de equipamentos, mas as duas são muito boas, sendo que em caso de chuvas contínuas e ventos, a Everest tem melhore desempenho.

  6. SHYRLAINE GUIMARAES
    11 de abril de 2013 at 01:07

    Ganhei uma barraca mas ela não veio com o manual,o posso fazer para saber montá-la. Ela TEM QUARTOS E TERRAÇO. NÃO SEI QUAL É O NOME QUE SE DÁ A ESSE TIPO DE BARRACA. VC TEM COMO ME AJUDAR ?

  7. Fabiano
    1 de maio de 2013 at 18:10

    Olá amigo Gasparello, acabei de ler q vc nao gosta de opnar sobre compras de equipamentos, com perdao! rs … ” é que eu comprei uma barraca sem nem saber sobre estes detalhes de coluna d´água etc, em fim comprei uma toda articulada da spider mor,3 pessoas q por fim só cabe 2 rs. coluna d’água 1200 mm, vc conhece esta marca? sabe se realmente aguenta chuva na medida? “tenho receio” obs final: gostaria q vc me aconselhasse uma barraca da guepardo p/ 4 ou 5 pessoas q porem aguente chuva,” no caso de uma” nao tenho o habito de acampar, mas quero segurança neste sentido. desde já obg! abçç.

  8. Elienilson Barros Coutinho
    7 de maio de 2013 at 01:23

    Gasparello, o assoalho da minha barraca é de plástico e rasgou próximo ao fixador da barraca, o que devo utilizar como remendo?

    Obrigado.

    • José Luciano Gasparello Filho
      7 de maio de 2013 at 10:03

      Taí um problema que nunca passei. Será que aquele material para remendar furos de pneu em bicicleta não quebraria um galho?

  9. terezinha tessaro
    7 de maio de 2013 at 23:20

    tenho uma barraca Nautica falcon a 13 anos e esta perfeita,nunca tive problemas com a chuva, mas a um ano algumas varetas se partiram e não consigo encontrar prá comprar,voce poderia me sugerir algum site ou loja que vendam essas peças?

  10. Marcos Paulo Marques Corrêa
    11 de junho de 2013 at 12:06

    Gasparello parabéns pelo teu trabalho no blog. O que você acha das barracas Quechua como a T3?

    • José Luciano Gasparello Filho
      11 de junho de 2013 at 12:45

      Não conheço de perto.

  11. Ricardo
    19 de junho de 2013 at 01:23

    Gasparello o que vc me diz das barracas popup ? são simples, praticas, Mas o que me preocupa é a ventilação. Desde ja, grato.

  12. Enderson
    27 de junho de 2013 at 17:06

    Outra dica muito boa é nunca deitar diretamente no piso da barraca, use sempre um colchão ou isolante térmico.

  13. Bruna
    5 de julho de 2013 at 12:15

    Olá, gostaria de saber qual barraca você me indicaria para comprar, pra usar em dias de chuva principalmente. Mas gostaria de uma que desse pra ficar de pé dentro da barraca. Você pode indicar alguma? Pois já tem algum tempo em que estou pesquisando na internet, porém como não tenho o conhecimento igual ao seu, não sei qual seria melhor..

    Obrigadaa…

  14. Emanoel
    15 de julho de 2013 at 16:00

    Belo trabalho Gasparello, gostei muito deste artigo.

  15. 22 de julho de 2013 at 19:22

    Estava querendo trocar minha barraca justamente por nao ter o sobre-teto, e fui pesquisar no youtube, foi qndo descobri seu canal, o qual nao so tirou minha duvida de qual barraca comprar mas tambem agregou um vasto conhecimento sobre esta area de acampamentos. Seu trabalho é sensacional e deve ser valorizado e compartilhado. Parabens Gasparello e sucesso no seu trabalho!

  16. Wagner
    26 de julho de 2013 at 12:56

    esse post é uma verdadeira aula sobre barracas!!! até pra quem já acampa há muitas primaveras e acha q sabe alguma coisa sobre as “casinhas de campo”. valeu Gasparello

    • José Luciano Gasparello Filho
      29 de julho de 2013 at 12:07

      Obrigado!

  17. Alexandre
    27 de julho de 2013 at 16:01

    Estou pesquisando sobre barracas, pois sou motociclista e pretendo começar as aventuras. Adorei suas dicas, foram muito importantes, principalmente pelos detalhes passados e testes efetuados. Parabéns………

    • José Luciano Gasparello Filho
      29 de julho de 2013 at 12:04

      Obrigado pelo comentários de incentivo!

  18. Claudio Ferreira
    20 de outubro de 2013 at 14:45

    Olá Gasparello, parabéns pelo post, muito útil. Acampei muito com meus pais quando garoto, fui até Cordoba-AR acampando. Deixei de fazer isso mas sempre quiz retomar essa prática. Sou motociclista e comprei uma barraca com o objetivo de não “ficar na mão” quando não consigo alojamento. Outro diz testei ela pela primeira vez na Serra da Canastra-MG, e pra coroar, peguei chuva. Notei que realmente a sobre teto não pode encostar na barraca. Gostaria de comprar algo mais “tcham” e voltar a acampar. Gostaria de comprar uma que fosse top mas o volume dela fechada não pode ser muito grande (por conta da moto) e que o teto não fosse tão baixo. Sou muito gordinho kkkkk. Supondo que o dinheiro não fosse problema, o que você compraria nesse caso ? Valeu, abraço.

    • José Luciano Gasparello Filho
      20 de outubro de 2013 at 17:59

      Você pode dar uma olhada na Guepardo Everest. Nem tão grande, nem tão pequena.

Comments are closed.