Bear Gryllus!

Sempre que falo do Bear Grylls os fãs que morrem de amores pelo cara me torram a paciência ! Eu sei, sim que sei; o cara é o bam-bam-bam do exército inglês, e realmente conhece muito de sobrevivência. Também sei que o programa dele avisa no início que muitas das situações são simulações. Não sou nem pretendo ser igual a ele, acho que não passo nem perto das habilidades e do preparo físico do Grylls. Só não acho que este estilo espalhafatoso de sobrevivência leve as pessoas não militares e fisicamente despreparadas muito longe em situações reais. Meu questionamento vai mais em relação a ética de mostrar algo que talvez leve pessoas comuns à morte. Se for o caso, o espaço é livre para você defender seu herói, opine o quanto quiser, contra ou a favor.

O vídeo abaixo é dedicado aos fãs do saltitante “Bear Gryllus“.

12 comentários para “Bear Gryllus!

  1. Tiago Gustavo
    16 de julho de 2015 at 20:01

    Muito “imbuste”, o cara faz coisa pra TV mesmo.
    Ele pode ter um bom conhecimento, ser bom em muitas coisas, ter bom preparo físico, mas grande parte do que ele faz não se aplica em uma situação real. Exemplos disso são comer carne crua (em estado de decomposição), beber água contaminada(do rumem de animais, das fezes do elefante,…). Além disso ele se arrisca de mais a traumas mecânicos como saltar de penhasco em rio sem saber profundidade escalar uma cascata sem segurança…
    Tem muita coisa que se aproveita das técnicas e “firulas” que ele mostra, mas como falei, ele faz coisas pra TV…

  2. Ederval
    16 de julho de 2015 at 21:50

    O Cara que faz Monstros do Rio é a mesma coisa …. Chama peixes que não tem nada a ver de monstros e faz uma cena….

  3. Raul
    16 de julho de 2015 at 22:02

    Sem dúvida ele entende muito de sobrevivência, porte físico atlético, isso nós não podemos negar. Porem, ele ta mais pra aventureiro. Não gosto de pulos de cachoeira, nadar em rio gelado. Isso não é sobrevivência, isso é estimulo pra morte.

    Abraço!

  4. Rodrigo Freitas
    17 de julho de 2015 at 00:04

    Comecei a me interessar por atividades na Natureza, graças ao programa dele. No início, como não tinha experiência alguma de acampamentos e muito pouco de trilhas, achava normal o comportamento dele. Mas depois que comecei a acampar e em locais selvagens [sempre muito bem equipado], vi que o buraco é bem mais em baixo e que se uma pessoa se comportar como ele em uma situação em que esteja perdida, mesmo com todos os conhecimentos possíveis, as chances de se dar mal são muito grandes. Primeiramente porque ninguém deve sair para uma empreitada na Natureza, portando somente uma faca e um cantil [como ele faz na maioria dos seus programas]. Segundo que, uma vez perdido e sem qualquer alimento à mão, não se deve sair correndo, pulando pedras, pulando em rios que não conhecemos, fazendo rapel ou balançado com cipós por despenhadeiros, arriscando um acidente que pode custar a vida. Penso que o aviso no início do programa deveria alertar as pessoas para tais comportamentos pois, por incrível que pareça, as pessoas que não têm vivência na Natureza selvagem tendem a achar tudo o que ele faz, algo trivial. Só o fato de se estar perdido em uma selva, rodeado de árvores e não ser capaz nem de seguir em uma direção já é o suficiente para derrubar a maioria das pessoas.

  5. cláudio portugal
    17 de julho de 2015 at 01:04

    concordo com o irmão, o Bear com praticante do movimento escoteiro, ele não deveria estimular os escoteiros a “imitar” o que ele faz, tem certas coisas que ele come e bebe (sangue de cobra por exemplo) que deveria ter um controle maior, ou informar em legendas que aquele tipo de alimento deve ou não ser cozido e etc…., sou fã dele e do Ed que faz um programa de sobrevivência sem recursos como o Bear, e é muito safo e humilde.

  6. junio nunes
    17 de julho de 2015 at 03:22

    concordo com gasparelo, adoro os programas do Bear, mas algumas ações desnecessárias colocam a vida de pessoas menos experientes em risco. todos podem acabar numa situação em que é requerida técnicas de sobrevivência, mas não são todos que tem a mesma condição física e habilidades que o Bear tem, como disse o gasparelo, e ao tentar reproduzir os mesmos feitos acabaram morrendo.

  7. amaury aparecido
    18 de julho de 2015 at 14:38

    Realmente, ele é bem espalhafatoso.No entanto o Léo Rocha e o Coronel Leite, são sensacionais, e nos propõem situações reais e executáveis de sobrevivência!

  8. Leonardo
    20 de julho de 2015 at 16:37

    Gostaria de elogiar o cometário do Rodrigo Freitas. Gosto da série e me atenho principalmente no que o Bear fala, pois suas atitudes são próprias de quem possui um bom preparo físico. No entanto, somente isso não basta: estar psicologicamente preparado faz toda a diferença. Se procurarem no google sobre pessoas que se perderam nas matas, verão que por mais conhecimento que se tenha, dificilmente conseguirão achar uma saída sozinhos ou sobreviver como o conhecimento que possuem. fiquei indignado e até admirado, ao ler uma matéria sobre um manauense que se perdeu na mata e ao refazerem seu trajeto perceberam que ele andou em círculos e, se tivesse parado e analisado a situação traçando uma rota, teria se saído melhor, então me perguntei: como um manauense, que diz conhecer a mata , se perde e pior, tem uma dificuldade enorme para conseguir alimento? (ele passou os dias comendo abelhas, grilos, certas frutinhas rasteiras e bebendo água da chuva: o acharam quase morto).

  9. Fábio Soares
    22 de julho de 2015 at 01:22

    Gosto muito do Desafio em Dose Dupla, com o Léo e o Leite, e do Largados e Pelados.Acho o Bear Grylls um chato. E ainda vejo uma dose de irresponsabilidade no programa dele, que pode incentivar algum maluco a comprar uma faca igual à do Rambo e sair para o mato para brincar de sobrevivência. Quem é do ramo sabe que isso não é brincadeira. Não é fácil fazer fogo esfregando pauzinhos nem encontrar água. Se vacilar, pode morrer.

  10. Thales
    30 de julho de 2015 at 11:52

    Tudo depende do propósito, objetivo. Não creio que seu comentário sobre o Bear Grylls tenha sido honroso, muito menos em dizer a nós leitores em tom irônico, que se quisermos poderíamos escrever algo sobre nosso “herói”. O título da postagem também é desrespeitoso, com a escrita propositalmente errônea. O Bear Grylls segue um roteiro, sendo ele uma indústria e marketeiro, merece o respeito por sua dedicação, tanto quanto uma árvore ao qual você não quis tirar a casca para marcar um ponto de referência….

  11. Fabrício
    30 de julho de 2015 at 18:02

    Eu sou fã dele, falem bem ou falem mal. Post rídiculo e desnecessário, sempre com os mesmos argumentos e sem conhecer um pouco mais sobre o assunto. Tosco mesmo é esses programas brasileiros e copiados, tipo desafio em dose dupla.

  12. Fabio
    7 de agosto de 2015 at 23:42

    Uma pessoa inteligente vai saber filtrar o que o BearG ensina de útil para uma situação de sobrevivência do que não é viável por ser perigoso repetir. O programa é bom de se assistir e se ele não fizesse algumas estripulias não teria apelo para a TV.

Comments are closed.