Acidentes com Animais Peçonhentos

Acidentes com cobras, escorpiões e aranhas

Nos dias atuais está cada vez mais comum o turismo rural ou passeios e aventuras em locais selvagens. Encontros com animais peçonhentos podem ocorrer, sendo muito importante conhecer os animais que oferecem algum tipo de perigo, os primeiros socorros e alguns sintomas decorrentes de picadas. É interessante conhecer os sintomas no caso de não conseguir capturar o animal causador do acidente ou deste não ter sido visto após a picada. Algumas aranhas e escorpiões também são muito comuns em regiões urbanas, veremos alguns exemplos. Reproduzo abaixo informações importantes do Instituto Butantan, de São Paulo, bem como algumas fotos encontradas na Wikipédia.

PRIMEIROS SOCORROS:

▲ Lavar o local da picada apenas com água ou     com água e sabão;
▲ Hidrate a vítima com goles de água
▲ Eleve o local afetado
▲ Levar a vítima imediatamente ao
serviço de saúde mais próximo
▲ Não corte ou fure o local da picada ▲ Não faça torniquete

TIPOS DE ACIDENTES:

Acidentes por cobra

Acidente botrópico (causado por serpentes do grupo das jararacas): dor e inchaço no local da picada, às vezes com manchas arroxeadas e sangramento pelos orificios da picada; sangramentos em gengivas, pele e urina. Pode evoluir com complicações como infecção e necrose na região da picada e insuficiência renal.

Jararaca-da-mata (Foto: Wikipédia) Urutu (Foto: Wikipédia)

Acidente laquético (causado por surucucu): quadro semelhante ao acidente botrópico, acompanhado de vômitos, diarréia e queda da pressão arterial.

Surucucu (Foto: Wikipédia)

Acidente crotálico (causado por cascavel): no local sensação de formigamento, sem lesão evidente; dificuldade de manter os olhos abertos, com aspecto sonolento, visão turva ou dupla, dores musculares generalizadas e urina escura.

Cascavel (Fotos: Wikipédia)

Acidente elapídico (causado por coral verdadeira): no local da picada não se observa alteração importante; as manifestações do envenenamento caracterizam-se por visão borrada ou dupla, pálpebras caídas e aspecto sonolento.

Cobra-coral (Foto: Wikipédia) ( Foto: Ins. vital Brazil)

Convém lembrar que serpentes não peçonhentas também podem causar acidentes e que nem sempre as serpentes peçonhentas conseguem inocular veneno por ocasião do acidente. Cerca de 40% dos pacientes atendidos no Hospital Vital Brazil são picados por serpentes consideradas não-peçonhentas ou por serpentes peçonhentas que não chegaram a causar envenenamento.

Acidentes por escorpião

Os escorpiões de importância médica estão distribuídos em todo o país, causam dor no local da picada, com boa evolução na maioria dos casos, porém crianças podem apresentar manifestações graves decorrentes do envenenamento. Ao lado, a foto de um escorpião (Wikipédia).

Em caso de acidente, recomenda-se fazer compressas mornas e analgésicos para alívio da dor até chegar a um serviço de saúde para as medidas necessárias e avaliar a necessidade ou não de soro.

Acidentes por aranhas

São três os gêneros de aranhas de importância médica no Brasil:

Loxosceles (“aranha-marrom”): é importante causa de acidentes na região Sul. A aranha provoca acidentes quando comprimida; deste modo, é comum o acidente ocorrer enquanto o individuo está dormindo ou se vestindo, sendo o tronco, abdome, coxa e braço os locais de picada mais comuns. Ao lado, a foto da aranha-marrom (Wikipédia).

Comentário Tocandira: A aranha-marrom é muito abundante no Paraná, sendo muito comum encontrá-la dentro das residências, onde a maioria dos acidentes acontecem. As picadas evoluem para lesões graves, inclusive com necrose dos tecidos. É uma aranha muito perigosa e um exemplo de acidente com animais peçonhentos em ambiente urbano.

Phoneutria (“armadeira”, “aranha-da-banana”, “aranha-macaca”): a maioria dos acidentes é registrada na região Sudeste, principalmente nos meses de abril e maio. É bastante comum o acidente ocorrer no momento em que o indivíduo vai calçar o sapato ou a bota. Ao lado, a foto da armadeira (Wikipédia).

Comentário Tocandira: A aranha  armadeira é muito agressiva, podendo efetuar várias picadas em sequência quando provocada ou acuada.

Latrodectus (“viúva-negra”): encontradas predominantemente no litoral nordestino, causam acidentes leves e moderados com dor local acompanhada de contrações musculares, agitação e sudorese. Ao lado, a foto da viúva-negra (Wikipédia).

Outras aranhas: as aranhas caranguejeiras e as tarântulas, apesar de muito comuns, não causam envenenamento. As que fazem teias  geométricas, muitas encontradas dentro das casas, também não oferecem perigo. Ao lado, a foto de uma tarântula (Wikipédia).

Acidentes por taturanas ou lagartas

As taturanas ou lagartas que podem causar acidentes são formas larvais de mariposas que possuem cerdas pontiagudas contendo as glândulas do veneno. É comum o acidente ocorrer quando a pessoa encosta a mão nas árvores onde habitam as lagartas.

O acidente é relativamente benigno na grande maioria dos casos. O contato leva a dor em queimação local, com inchaço e vermelhidão discretos. Somente o gênero Lonomia pode causar envenenamento com hemorragias e complicações como insuficiência renal.

Soros

Os soros antipeçonhentos são produzidos no Brasil pelo Instituto Butantan (São Paulo)Fundação Ezequiel Dias (Minas Gerais)Instituto Vital Brazil (Rio de Janeiro). Toda a produção é comprada pelo Ministério da Saúde que distribui para todo o país, por meio das Secretarias de Estado de Saúde. Assim, o soro está disponível em serviços de saúde e é oferecido gratuitamente aos acidentados.

Assista ao trailer do canal Tocandira e inscreva-se!

http://www.youtube.com/watch?v=eC2Qc7uketc

Talvez você também queira conhecer outros tópicos:

Fonte:

  • http://www.butantan.gov.br/home/acidente_com_animais_peconhentos.php
  • http://www.ivb.rj.gov.br/cobras_venenosas.html
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Jararaca-ilhoa
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Urutu
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Surucucu
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Jararaca-da-mata
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Coral_verdadeira
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Aranha-marrom
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Armadeira
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Viúva-negra
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Tarântula

13 comentários para “Acidentes com Animais Peçonhentos

  1. cleber
    22 de junho de 2012 at 01:21

    muito interessante e pode salvar vidas.

  2. alceir albuquerque
    4 de julho de 2012 at 02:26

    gasparello pode me esclarecer uma duvida nao sei se e mito dizem que quando se acampa e sempre bom fazer uma valetinha em volta da barraca e jogar querosene pois o msm espanta as cobras por causa do cheiro forte e verdade gostaria que me informasse sobre isso

    • José Luciano Gasparello Filho
      4 de julho de 2012 at 11:01

      Esse assunto foi discutido num fórum chamado Vida Selvagem e Sobrevivência. O moderador fez uma consulta ao Instituto Butantan, de SP, e a resposta é que a única solução para evitar que cobras e outros animais peçonhentos adentrem no acampamento são barreiras físicas. Todo o resto, segundo esse Instituto, não funciona. Então, o ideal é manter a barraca sempre fechada, sapatos protegidos e cuidar onde pisa!

  3. alceir albuquerque
    4 de julho de 2012 at 16:13

    obrigado por buscar uma resposta estou querendo acampar proximo da minha casa so que e um local de mata fechada tem suas trilhas mas nao sao muito usadas ae todo conhecimento e bem vindo abrigado

  4. Rodrigo
    23 de julho de 2012 at 08:08

    Quais medidas preventivas para poder dormir tranquilo no meio da mata ? e caso ocorra algum acidente com animal peçonhento e estiver extremamente longe de um hospital o que devo fazer ?

  5. SID
    24 de julho de 2012 at 01:43

    sempre que entro num mato, faço com um galho verde um bastão de 1,5 metros no mínimo e com ele vou passando pela trilha a minha frente a cada 3 ou 4 passos, principalmente onde esta fechado com moitas sem muita visão, sempre que posso levo polainas de couro (pode ser aquelas de soldador)abs

  6. Paulo César
    18 de fevereiro de 2013 at 23:17

    Olá Gasparello, aqui vai uma informação que eu não sabia,vou experimentar,principalmente na cadeira do mato,veja abaixo;
    Abraços,
    saúde paz…

    https://www.youtube.com/watch?v=zJJDi8EG8rY

  7. jose hamilton de santana primo
    22 de junho de 2013 at 23:14

    ha algun tipo de medicação que retarde a propagação do veneno na vitima picada de cobras em caso de um pronto atendimento distante do local?

  8. Bruno Abreu
    17 de julho de 2013 at 05:06

    Correção: o membro afetado por picada de cobra deve ficar abaixo ou ao nível do coração. Confirme por favor.

  9. Ernesto Sánchez Pérez
    8 de dezembro de 2014 at 22:30

    Ótima matéria, isso prova que a mata tem seus perigos escondidos. Um bom calçado é essencial. Conheci um homem aqui da minha região, que ele foi picado por uma aranha marrom e foi obrigado a se aposentar, porque arruinou a perna dele a tal ponto de ter de engatinhar, para poder se locomover. Hoje ele já está normal, mas a picada da aranha arruinou a vida produtiva dele. Antes eu não matava as aranhas, mas hoje ao redor e dentro da minha casa não tenho dó mato mesmo, pois são muito perigosas. O lugar que elas picam, dependendo da aranha, fica todo necrosado. Esses dias fui picado por uma vespa preta, que minha mão ficou dolorida por uma semana. Fiquei sabendo hoje, que essa vespa faz a sua casa dentro do chão. Passou perto, ela te ataca. Na minha região o pessoal tem mais medo das vespas que das cobras. Tem muitos tipos de vespas. As amarelas são as mais perigosas. Minha esposa levou apenas uma picada de vespa amarela na testa e desfigurou o seu rosto por um bom tempo. Não é à toa que é uma vespa tão temida. O mês passado foram achadas duas cobras, perto de casa uma preta e uma de 1,70m. Estavam num lugar que eu já tinha passado dias atrás. Andar na mata exige muita atenção da nossa parte, no chão, as cobras, as formigas, nas bordas das árvores, nos buracos das pedras as vespas, as abelhas, na água dos córregos as amebas, os espinhos…

  10. Rafael
    17 de maio de 2015 at 21:26

    Só faltou comentar que o garrote (pois do torniquete foi comentado) também está totalmente vetado pq a peçonha de serpentes pré inicia a digestão então com aquele membro ou extremidade inchando e com destruição de tecidos, autólise e outras coisas mais fazem com que, no momento em que solte o garrote libera de uma vez todas aquelas toxinas concentradas num lugar só.
    Ali acima perguntaram se tem algo pra medicar: + ou -. tem uma planta chamada Guaçatonga (Casearia sylvestris) que possui atividades anti-hemorrágicas e inibidora da fosfolipase (a fosfolipase está presente na peçonha de abelhas, como numa porção de baixa massa molecular da peçonha de viperideos). tem muitos artigos falando dela com resultados muito bons, aí cabe a cada um pesquisar um pouco dessa planta…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing