A Origem dos Canivetes Suíços

Há algum tempo me interessei em conhecer a história dos canivetes suíços. Bebendo de algumas fontes (citadas ao final do post), e com ajuda de representantes da Victorinox e Wenger, juntei alguns pontinhos para mostrar como foi a origem dos famosos canivetes suíços. No decorrer do texto você irá perceber que essa história se confunde com a da empresa Victorinox. Deguste e deixe seus comentários!

Os canivetes suíços possuem outras ferramentas além das lâminas, por isso são conhecidos como ferramentas multi-uso. As empresas suíças e legítimas fabricantes destes canivetes são a Victorinox e a Wenger, esta última comprada pela Victorinox em 2005.

O canivete suíço teve origem em Ibach Schwyz, na Suíça em 1891. O termo “canivete suíço” (Swiss Army knife) provavelmente foi inventado por soldados dos EUA ao final da Segunda Guerra Mundial, presumivelmente porque tinham problemas em pronunciar seu nome original, “Offiziersmesser“. Atualmente, o termo “canivete suíço” é uma marca registrada de propriedade da Victorinox AG e de sua subsidiária Wenger SA.

Karl Elsener (foto à esquerda), então dono de uma empresa de equipamentos cirúrgicos, ficou horrorizado ao saber que os canivetes fornecidos ao exército suíço eram fabricados em Solingen, na Alemanha, então Elsener, em 1884, fundou  a Associação de Cuteleiros Suíços com o objetivo de produzir canivetes para o exército suíço. Em outubro de 1891 foi finalizado o primeiro lote de canivetes para o exército suíço, mas firmas alemãs ainda conseguiam produzir canivetes mais baratos em suas fábricas, prejudicando as vendas da associação de cuteleiros e fazendo com que todos os outros membros abandonassem o projeto após um ano. Mesmo perdendo sua fortuna, Elsener perseverou, focando suas energias na produção de canivetes multi-funções, como o Canivete do Estudante, Canivete do Fazendeiro e Canivete do Cadete.

Com persistência, Elsener conseguiu uma forte presença no mercado de canivetes até 1893, quando uma segunda cutelaria industrial da Suíça, Paulo Boechat & Cie, com sede em Delémont na região de língua francesa do Jura, começou a vender um produto similar, inclusive para o exército suíço. Esta empresa foi posteriormente adquirida pelo seu Gerente Geral, Theodore Wenger (imagem à direita), que viria a rebatizar a companhia como Wenger.

Em 1896, após cinco anos de trabalho duro, Elsener conseguiu colocar as lâminas em ambos os lados do cabo usando um mecanismo de mola especial, permitindo que o canivete utilizasse a mesma fonte para mantê-los no lugar, uma inovação na época. Esta inovação também permitiu a Elsener colocar outros recursos no canivete, logo sendo copiado por outras empresas. Em 12 de junho de 1897, Elsener registrou o projeto do “Canivete para Oficiais”, que seria responsável por seu sucesso e sua fortuna. O Canivete para Oficiais possuía seis ferramentas com apenas duas molas: lâmina, punção, abridor de latas, chave de fenda, lâmina pequena e saca-rolhas. O exército suíço não adotou este novo modelo de canivete, mas muitos oficiais o compravam em cutelarias onde o Canivete do Soldado também estava disponível. A essa altura, a útil ferramenta multi-funções logo tornou-se popular e cada vez mais vendas eram realizadas na Suíça e para o exterior. Elsener utilizou-se de constantes inovações e altíssima qualidade para combater as imitações que surgiam.

Em 1908, o governo suíço, querendo evitar uma discussão sobre o favoritismo regional, mas talvez querendo um pouco de competição no segmento na esperança de baixar os preços dos canivetes, dividiu o contrato entre as empresas de Elsener e a de Wenger, ficando cada empresa com metade dos pedidos feitos. Por mútuo acordo, Wenger anuncia seus produtos como “o genuíno canivete suíço” e Elsener utiliza o slogan “canivete suíço original”. Em 1909, o governo Suíço permitiu utilizar a cruz suíça nos canivetes de Elsener e de Wenger.

Após a morte de sua mãe no mesmo ano, Elsener decidiu utilizar seu nome de batismo Victoria como marca registrada. Em 1918, Karl Elsener faleceu, deixando a fábrica sob o controle dos filhos Carl e Alois. Após a criação do aço inox em 1921 e sua consequente utilização na fabricação de canivetes, a palavra INOX acabou sendo adicionada à marca Victoria, surgindo a marca atual Victorinox. Hoje, o Canivete de Oficiais existe em mais de 100 diferentes combinações, sendo o mais notório o modelo SwissChamp, com 33 diferentes funções. A Wenger também possui diversos modelos.

Após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos, a dificuldade de carregar canivetes em aviões iniciou uma crise na Victorinox e principalmente para a Wenger. Seus canivetes eram produtos largamente comercializados em free shops e a dificuldade de carregar canivetes em malas de mão prejudicou muito as vendas desses produtos. A Victorinox conseguiu inovar produzindo outros produtos e, em 26 de abril de 2005, comprou a rival Wenger, até então, seu único competidor, tornando-se a única fornecedora de canivetes ao exército suíço.

Segundo informações dos representantes da Victorinox no Brasil,  atualmente, cada soldado do exército suíço recebe um kit de sobrevivência e dentro desse kit está um canivete. Desde 2008 é fornecido aos soldados o Canivete New Soldier 0.8461.MWCH.

Fonte:

  • http://en.wikipedia.org/wiki/Swiss_knife
  • http://en.wikipedia.org/wiki/Wenger
  • http://www.victorinox.com.br
  • http://www.wengerna.com
  • Agradeço ainda ao setor de marketing e ao setor de vendas corporativas da Victorinox do Brasil pela atenção!

 

 

Assista ao trailer do canal Tocandira e inscreva-se!

http://www.youtube.com/watch?v=eC2Qc7uketc

 

Leia outros assuntos relacionados:

39 comentários para “A Origem dos Canivetes Suíços

  1. Walter
    8 de março de 2012 at 22:39

    Parabéns pelo trabalho de compilar informações para trazer um pouco de história para os colaboradores da comunidade Camping Brasil, que foi por onde acessei seu Blog. Aliás, parabéns também pelo próprio blog. Abs. Walter

    • 9 de março de 2012 at 00:38

      Walter,

      Muito obrigado pelas palavras de incentivo!

      Gasparello

  2. Albanir,
    12 de março de 2012 at 20:29

    Obrigado, era uma curiosidade antiga, porem agora solucionada. Sou usuario deste (s) canivetes há muito tempo, tenho dois em plena forma e outros dois que estão com alguns itens em desuso, porem não os jogo fora. É paixão.

    • 12 de março de 2012 at 22:01

      Estes canivetes são objetos de desejo no mundo todo! Obrigado por prestigiar meus textos!

  3. peterson
    13 de março de 2012 at 00:04

    OLÁ, TUDO BEM COM VC? EU TENHO UM VICTORINOX RANGER. ACHEI MUITO LEGAL SUA MATÉRIA. CONCISA E EXPLICANDO TUDO AO MESMO TEMPO. VASCULHANDO PELA INTERNET, ENCONTREI 3 MARCAS DE CANIVETES COM ESTA MESMA FILOSOFIA MULTI USO, SÃO ELES: AITOR-PIELCU GRAN POLICE (AINDA VOU TER UM!!!!60-70 EUROS….)ESPANHOL, UM ALEMÃO RICHARTZ DE SOLINGEN E UM (ACHO…) SUÍÇO, WAGNER.

    • 13 de março de 2012 at 11:50

      Peterson,

      Eu sequer havia procurado outras marcas que não fossem Victorinox ou Wenger. Muito bacana saber que existem outras marcas, vou até dar uma procurada para aprender mais a respeito. Obrigado!

  4. Léo Lima
    13 de março de 2012 at 00:56

    Eu já conhecia um pouco da história dos canivetes Suíços e achei muito interessante.
    Muito bom vc ter postado esse material, ótimo trabalho!

    • 13 de março de 2012 at 11:49

      Léo,
      Obrigado pelas palavras de incentivo!

  5. Gabriel Matte
    27 de março de 2012 at 17:33

    Muito bom!! foi muito legal conhecer a historia dos famosos “canivetes suiços” conhecidos no mundo todo..

  6. 3 de abril de 2012 at 22:36

    Muito obrigada Gasparello! Seu site ficou ótimo e as informações realmente ajudam aos nossos clientes, bom mas que clientes quem possui um Victorinox é um apaixonado por nossos produtos!! Parabéns!!!

    • gasparello
      4 de abril de 2012 at 00:38

      Eu também agradeço o apoio recebido!

  7. Alvaro Arilton
    6 de abril de 2012 at 00:49

    Muito instrutiva sua matéria, eu já sabia um pouco sobre a Victorinox agora ela complementa mais ainda minhas informações: Parabems.

  8. Alvaro Arilton
    6 de abril de 2012 at 01:11

    ótima historia complemento mais ainda meus conhecimento sobre a Victorinox, você está de parabens.

  9. Beatriz
    16 de abril de 2012 at 23:44

    legal! eu ja sabia um pouco da historia por causa desta reportagem da Globo News http://www.youtube.com/watch?v=NQATW930_sQ muito interessante tbm

    • gasparello
      17 de abril de 2012 at 00:03

      Esta reportagem tem uma falha. Eles falam que nunca a Victorinox forneceu canivetes ao exército suíço, e na verdade, desde o início da empresa, eles nunca pararam de fornecer!

  10. 19 de junho de 2012 at 00:29

    Passou um pequeno documentário no Discovery esses dias no programa “O DNA DAS COISAS” mostrando a história e parte da fabricação da época e a atual… o conteúdo acima, está perfeito.

  11. 21 de junho de 2012 at 04:34

    Eu tenho um que é meu companheiro desde 98, aí comecei a pesquisar mais um pouquinho e no seu blog achei o melhor resumo da história dessa peça fantástica. Se vc não se importar fiz uma menção no meu blog.
    Parabéns!

  12. José Luciano Gasparello Filho
    21 de junho de 2012 at 20:16

    Parabéns por seu blog! Espero que retorne mais vezes ao site Tocandira!

  13. edmir jose de barros junior
    11 de julho de 2012 at 22:46

    ola,sou fascinado por canivetes e tenho sempre um comigo onde quer que eu esteja, gosto de tudo que diga respeito ao assunto e sou possuidor desta maravilhosa ferramenta desde os doze anos de idade e como possuidor antigo confesso que meu sonho e ter um victorinox mas onde moro nao vende e ele por ser um dos melhores gustam caro entao me comformo em ver os dos anuncios parabens pela materia valeu.

  14. Marcio Silva
    21 de agosto de 2012 at 12:51

    Muito boa a postagem destes lendários canivetes! Como amante da Historia (ou seja, Professor!)Bombeiro Civil e Aventureiro, creio que este é um dos itens de consumo de extrema relevância para nós! Continuem com as Postagens, pois as mesmas são nota 10! Só tenho uma pequena duvida: Como ser membro do site? Aguardo retorno e bom trabalho para vocês ai!

    • José Luciano Gasparello Filho
      21 de agosto de 2012 at 13:15

      Obrigado por prestigiar o site!

      Para ficar por dentro das novidades, basta efetuar sua inscrição no canal Tocandira do YouTube e curtir a FanPage, no Facebook.

      Abraço

  15. Frederico da Silva Hermenegildo
    23 de setembro de 2012 at 06:05

    Tenho 3 e ñ saio de casa sem o meu 33funções, talvez até sem roupa. Também já presenteei à um amigo, ficou sem palavras. Otimo trabalho de esclarecimento nós agradecemos.

  16. Carlos Santos
    3 de novembro de 2012 at 22:02

    Bem interessante toda a historia do canivete suíço… eu quando era mais novo todo o trocado que juntava torrava em canivete suíço… depois escondia na moita… bom hoje 30 anos depois ainda vou descobrindo alguns, principalmente dos grandes com trava lateral… de referir que aqui em Portugal lamina até 10 cm não é considerado arma, pelo que muitos dos meus amigos andam diariamente com um sem problema.. agradecimentos por me fazer recordar velhos tempos meu amigo…

  17. Eduardo
    7 de novembro de 2012 at 21:46

    Gostaria de saber, na prática, como funciona a função “escamador de peixe” de alguns canivetes Victorinox. Grato.

  18. Zenun
    13 de dezembro de 2012 at 13:14

    Caros amigos, vocês não vendem os canivetes suiços? Em caso de resposta negativa, poderia me indicar alguns sites que vendem? Desde já agradeço! Um abraço!

  19. 29 de abril de 2013 at 12:01

    Ótimo texto. Parabéns pelo trabalho.
    Muito interessante.

  20. Fillipe
    7 de maio de 2013 at 01:08

    muito bom este site. Obrigado pelas dicas. Deus abençoe a equipe.

  21. mauricio arruda preuss
    14 de maio de 2013 at 03:23

    Curiosidade: meu pai me deixou um pequeno canivete suíço que ele tinha desde os anos 60, sempre que usava ele ficava chateado, pois, a mola da tesoura estava quebrada. Certo dia encontrei a assistência técnica da Vitorinox e não hesitei em levar minha pequena herança para ser concertada. O técnico olhou curioso para a peça e me disse que não tinha condições técnicas de repara-lo por se tratar de um modelo muito antigo e obviamente fora de linha, mas me propôs caso estivesse disposto a aguardar algumas semanas de envia-lo para a matriz na Suíça, aceitei e quando voltei para busca-lo esperava uma conta bem salgada pelo passeio que meu pequeno canivete fez pelo mundo mas fiquei surpreso ao saber que não teria que pagar nada visto que a garantia dos canivetes suíços é vitalícia e ainda me devolvera ele dentro de um pequeno estojo. Não é genial essa atitude?
    Bom dia a todos.

  22. Dhemes Fliver de Ramos
    11 de setembro de 2013 at 15:36

    Gostaria de parabeniza-lo pelo excelente texto, e pelo site que descobri por acaso, durante uma pesquisa sobre a formiga tocandira… confesso que ate passei mais tempo no site do que fazendo a minha pesquisa.Depois disso faço questão de sempre divulgar aos amigos e alunos dos cursos de campo que participo, pois as dicas são de extrema valia

    Muito obrigado pelo seu excelente trabalho.

  23. Bruno de Paula
    11 de setembro de 2013 at 16:26

    Parabéns pela matéria, muito boa e esclarecedora. Tenho gosto de acompanhar seu site, muito legal.

    Bruno

  24. Kaoru Noda
    11 de setembro de 2013 at 23:06

    Excelente texto e pesquisa.
    Parabéns!

  25. Fabiano Perroni Basso
    12 de outubro de 2013 at 21:08

    Ola gostei muito da matéria agora sei a verdadeira historia dos canivetes suíços tenho 2 modelos e adoro eles.Abraços

  26. Giorgio
    29 de novembro de 2014 at 13:19

    As legiões romanas já utilizavam um equipamento multi-função muito similar

  27. 15 de novembro de 2015 at 15:13

    Olá!
    Gostei muito dos benefícios.
    Proporcionam economia, praticidade e melhor qualidade de vida.

  28. Robson Haro
    22 de janeiro de 2016 at 17:42

    Como sempre um material de ótima qualidade, história interessante também…..grato pela informação

  29. Alex Neves
    2 de abril de 2017 at 11:49

    Muito bom! Gostei muito da história! Sempre gostei de canivetes… Meu avô usava bastante e isso me influenciou! Sua matéria é muito bacana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

WP-SpamFree by Pole Position Marketing